GESTÃO EM SST NA TERCEIRIZAÇÃO

Domingo, 12 Abril 2015 07:49
Avalie este item
(9 votos)

Com a aprovação no Congresso da nova Lei das Terceirizações (Abril 2015), o NRFACIL apresentará algumas abordagens sobre o assunto em relação a SST. Neste Datashow, um Resumo de Proposta de contratação de terceirizadas por um Grupo de Empresas ligadas à indústria do cimento.



 

Lido 24348 vezes Última modificação em Quinta, 16 Abril 2015 09:37

21 comentários

  • Link do comentário rodolfo Quarta, 17 Junho 2015 14:18 postado por rodolfo

    galera está antenada!! que tudo dê certo, VAMO BRASIL.....

  • Link do comentário candy Terça, 21 Abril 2015 15:37 postado por candy

    valeu

  • Link do comentário Mario Gouvea Segunda, 20 Abril 2015 20:28 postado por Mario Gouvea

    boa noite vcs tem aplicativo para celular ??

  • Link do comentário Joe TST Segunda, 20 Abril 2015 14:16 postado por Joe TST

    obrigado

  • Link do comentário CARLOS MONTEIRO Segunda, 20 Abril 2015 12:49 postado por CARLOS MONTEIRO

    O futuro do mundo do trabalho é o empreendedorismo, nesse sentido, cabe avaliar até que ponto a terceirização poderá afetar o trabalhador e as relações de trabalho. Esse processo não pode afetar negativamente os direitos trabalhistas, mas, devemos ficar atentos, pois muitos direitos já foram suprimidos, no entanto, me parece que muitos trabalhadores não estão atentos aos acontecimentos. Como exemplo, a perda do direito ao seguro desemprego.

  • Link do comentário antenor o rei Quinta, 16 Abril 2015 10:28 postado por antenor o rei

    me posiciono completamente contrário à terceirização das atividades-fim de uma empresa. Fazer isso é colocar novamente o homem como escravo do homem; O capitalismo não precisa gerar esse tipo de situação.

  • Link do comentário Jairo Teixeira Quinta, 16 Abril 2015 08:56 postado por Jairo Teixeira

    valeu

  • Link do comentário NRFACIL Terça, 14 Abril 2015 21:21 postado por NRFACIL

    Mudanças da LEI na prática:

    Proposta permite que qualquer atividade de uma empresa possa ser terceirizada, desde que a contratada esteja focada em uma atividade específica. Segundo o relator, o objetivo é evitar que a empresa funcione apenas como intermediadora de mão de obra, como um “guarda-chuva” para diversas funções.

    O terceirizado só pode cobrar o pagamento de direitos da empresa tomadora de serviços quando a contratada não cumpre as obrigações trabalhistas e após ter respondido, previamente, na Justiça. Ou, quando a empresa contratante não fiscalizar o cumprimento das obrigações trabalhistas pela prestadora de serviços. A contratante terá de fiscalizar mensalmente o pagamento de salários, horas-extras, 13º salário, férias, entre outros direitos.

    A administração pública pode contratar terceirizados em vez de abrir concursos públicos e será corresponsável pelos encargos previdenciários, mas não quanto às dívidas trabalhistas. Sempre que o órgão público atrasar sem justificativa o pagamento da terceirizada, será responsável solidariamente pelas obrigações trabalhistas da contratada.

    O texto somente não se aplica à administração pública direta, autarquias e fundações.

    Os terceirizados não serão representados por sindicados das categorias profissionais das tomadoras de serviços. O argumento é que isso favorecerá a negociação e a fiscalização em relação à prestação de serviços.

    O terceirizado será representado pelo sindicato dos empregados da empresa contratante quando a terceirização for entre empresas com a mesma atividade econômica, o que possibilitará que o trabalhador receba as correções salariais anuais da categoria.

  • Link do comentário Alex Marianni Terça, 14 Abril 2015 20:51 postado por Alex Marianni

    boa noite gostaria de saber quais são as principais mudanças dessa lei

  • Link do comentário Paulo Tec SP Terça, 14 Abril 2015 00:30 postado por Paulo Tec SP

    PT vai ao Supremo contra votação de projeto sobre terceirização
    http://g1.globo.com/politica/noticia/2015/04/pt-vai-ao-supremo-contra-votacao-de-projeto-sobre-terceirizacao.html

  • Link do comentário Paulo Tec SP Terça, 14 Abril 2015 00:26 postado por Paulo Tec SP

    Élvis Penha

    se isso não acontecer então esse projeto não serve pra nada

  • Link do comentário Élvis Penha Segunda, 13 Abril 2015 23:25 postado por Élvis Penha

    boa noite !! sou novo na área e gostaria de saber se eu como tst poderei trabalhar tercerizado com todos os benefícios de um trabalhador comum com essa lei ???

  • Link do comentário fabian m Segunda, 13 Abril 2015 23:11 postado por fabian m

    Boa noite, estou com o programa antigo e quero instalar o novo mas não funciona a senha, Número de Série C77-47-010 validade 03/06/2015 Fabian

  • Link do comentário Amaury Nascimento Segunda, 13 Abril 2015 22:31 postado por Amaury Nascimento

    Atualmente a falta de uma regulamentação causa insegurança jurídica no mercado de trabalho, pois é comum ver casos em que uma empresa empurra para outra as obrigações trabalhistas dos seus contratados. Existem mais de 16 mil processos em tramitação no Tribunal Superior do Trabalho (TST) sobre o tema. Esse papo de precarização do trabalho é coisa de gente preguiçosa e que tem medo de mudança. É claro que ao longo do tempo, com a Lei em vigor, as brechas serão sanadas e a tendência é caminharmos para um cenário bem mais estruturado do que hoje em dia. É impossível modernizar a atividade econômica sem facilitar a terceirização.

  • Link do comentário enoque Segunda, 13 Abril 2015 21:49 postado por enoque

    muito bom valeu!!!!;;;

  • Link do comentário Ananias TST Segunda, 13 Abril 2015 21:35 postado por Ananias TST

    Boa noite a todos. Para quem está por fora e quer entender melhor os bastidores dessa situação toda, vejam as reportagens do Globo do dia 08/04/2015.

    "O projeto tramita há 10 anos na Câmara e vem sendo discutido desde 2011 por deputados e representantes das centrais sindicais e dos sindicatos patronais. Ele prevê a contratação de serviços terceirizados para qualquer atividade, desde que a contratada esteja focada em uma atividade específica."

    http://g1.globo.com/economia/noticia/2015/04/camara-aprova-texto-principal-de-projeto-que-regulamenta-terceirizacao.html

    http://g1.globo.com/concursos-e-emprego/noticia/2015/04/entenda-o-projeto-de-lei-da-terceirizacao-que-sera-votado.html

  • Link do comentário Eng. Damião Segunda, 13 Abril 2015 20:35 postado por Eng. Damião

    Muito bom este material, parabéns.

  • Link do comentário José Marcos Roldão da Silva Segunda, 13 Abril 2015 10:26 postado por José Marcos Roldão da Silva

    Com quase 20 anos de experiência na área ,convivi com essa realidade de terceirização em duas situações distintas e continuo convivendo.

    1ª Onde as empresas possuem excelência na gestão preventiva ( a prevenção é um valor e compromisso assumido no negócio ) , as empresas terceiras por força de contrato na prestação de serviços são "obrigadas" a cumprir os requisitos legais e normas internas da companhia contratante.

    2ª Em outras onde a gestão preventiva não possuem valor agregado, as empresas terceirizadas deitam e rolam no aspecto da prevenção hoje em dia, fico imaginado como vai ser com a flexibilização da legislação da forma que esta sendo concebida.. Pena que infelizmente o exemplo é maioria no nosso país, no segundo caso , onde a relação capital trabalho, no aspecto da gestão preventiva, persiste em alguns modelos dos primórdios da revolução industrial e baseia - se ainda em princípios de estudos de causas de acidentes de trabalho, com teorias que foram defendidas a mais de 50 anos como a dos dominós por exemplo.

  • Link do comentário Gerson Viana da Silva Segunda, 13 Abril 2015 10:16 postado por Gerson Viana da Silva

    A sociedade brasileira carece do fator de responsabilidade quanto às suas obrigações. Tal situação está implícita no comportamento e, a maioria prefere ser autuado sobre a obrigação a ser cumprida, pois no final sempre há o tal jeitinho. De fato são muitas as obrigações e o profissional que atua em SST deve ser consciente também sobre suas responsabilidades. Isso quer dizer que ele deve pensar muito bem antes de assumir o contrato de prestação de serviço, pois a maioria desconhece as obrigações de gestão e é exatamente aí nesse ponto que a responsabilidade solidária criminal irá imputar-lhe o que deveria ser cumprido e não foi por desconhecimento. Técnicos em SST devem agir dentro de seus limites e tomar muito cuidado principalmente quanto às ações regressivas do INSS.

  • Link do comentário Lécio Segunda, 13 Abril 2015 09:20 postado por Lécio

    A empresa terceirizada quem terá responsabilidade pelas obrigações trabalhistas, vai ter fundo de indenização pago pelas contratadas entre outros fatores. Acredito na geração de empregos e uma legislação mais costurada a longo prazo. Quem viver verá.

  • Link do comentário Dorival Segunda, 13 Abril 2015 07:37 postado por Dorival

    Sempre foi uma luta para que os terceirizados cumpram as normas de Segurança do Trabalho da empresa. Por eles não terem vínculo empregativo, logo não se sentem parte dela e assim acabam não cumprindo a legislação.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

DataShow

SEGURANÇA NO USO DE EMPILHADEIRA
AS 7 PRINCIPAIS CAUSAS DE ACIDENTES NA CONSTRUÇÃO CIVIL
REDE DESENERGIZADA: REGRAS DE OURO
DIFERENÇAS ENTRE PERIGO X RISCO
RISCOS ELÉTRICOS E PROTEÇÃO PARA OS PÉS
CONGRESSO MUNDIAL: PREVENÇÃO DE QUEDAS NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO
10 QUESTÕES SOBRE O USO DO CAPACETE
DIÁLOGOS CRÍTICOS EM SST
USANDO A LUVA DE SEGURANÇA ADEQUADA
ROTEIRO COMPLETO PARA TRABALHO EM ALTURA (NR 35)
INSALUBRIDADE X PERICULOSIDADE: DIFERENÇAS
TÓPICOS SELECIONADOS DE TOXICOLOGIA OCUPACIONAL
RUÍDO E VIBRAÇÃO
CONGRESSO MUNDIAL: PROBLEMAS AUDITIVOS E NÃO AUDITIVOS RELACIONADOS AO RUÍDO
CONGRESSO MUNDIAL: UM JOGO PARA MONITORAR LER-DORT
CONGRESSO MUNDIAL: STRESS NO TRABALHO E ALTA SENSIBILIDADE À PROTEINA C REATIVA
DICAS DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES E DOENÇAS NO TRABALHO
AGROTÓXICOS
NEXO TÉCNICO EPIDEMIÓLOGICO PREVIDENCIÁRIO
PRINCÍPIOS EM SAFE DESIGN E AS NRS
IBUTG: ROTEIRO PARA CALCULAR SEM DECORAR
DIFERENÇAS ENTRE ACIDENTE, INCIDENTE, ATO INSEGURO E CONDIÇÕES INSEGURAS NA SEGURANÇA DO TRABALHO
GESTÃO DE RISCOS PARA PREVENÇÃO DE INCÊNDIO E EXPLOSÃO
DIFERENÇA ENTRE UM TRABALHADOR QUALIFICADO, CAPACITADO, HABILITADO, ATUORIZADO E AMBIENTADO
FERRAMENTAS MANUAIS E A SEGURANÇA NO TRABALHO
GESTÃO EM SST NA TERCEIRIZAÇÃO
A GESTÃO DO TEMPO E AS NRS EM SST
PVE - PONTOS DE VERIFICAÇÃO ERGONÔMICA E AS NRs
OS CARD - ORDEM DE SERVIÇO EM SEGURANÇA NO TRABALHO
CONGRESSO MUNDIAL: BRASILEIROS NO CONGRESSO MUNDIAL SST
DIMENSIONAMENTO DA CIPA E DO SESMT COM O NRFACIL
CARTAZES DE SEGURANÇA E AS NRs
CLASSIFICAÇÃO DE NRS

Assine já e participe 

dos nossos grupos 

no Whats App!

Conheça profissionais 

de todo Brasil e tire

suas dúvidas!