PRIORIDADE 1 EM CASO DE UM ACIDENTE: TODO MUNDO TEM QUE SE ENVOLVER

Terça, 05 Abril 2016 20:03
Avalie este item
(4 votos)

Quando existe uma cultura de segurança, basta esperar que rapidamente se formará
uma lista de trabalhadores querendo fazer parte da equipe de emergencia. 

 

Existe uma campanha em alguns Serviços de Bombeiros em que quando ocorrer um desastre, o lema é "todo mundo pra casa". Isto quer dizer que tanto os que estiverem de serviço como os de folga devem correr para "casa", ou seja, para o Quartel. Algumas das caracteristicas dessa Campanha podem ser aplicadas nas indústrias.

 



No serviço de incêndio, temos uma campanha chamada TODOS VÃO PARA CASA, uma iniciativa de segurança da Fundação Nacional do Bombeiro Ferido. Esta iniciativa destina-se a promover uma mentalidade de prioridade em nossos socorristas para reduzir as lesões e mortes entre os bombeiros. Muitas das características dessa campanha são aplicáveis ​​à indústria e negócios.

Em instalações industriais e de produção em todo o mundo, as equipes de resposta a emergências são os socorristas. E adotando essa mentalidade, você cria uma eficaz cultura de segurança e mantém os socorristas focados na prioridade número 1 quando ocorrem acidentes: salvar e proteger vidas. Para qualquer pessoa responsável por uma equipe de socorristas, há três desafios principais para que aconteça um bom desempenho dentro dessa mentalidade:


Recrutar as pessoas certas

Como recrutar funcionários que sejam totalmente dispostos, dedicados e comprometidos a assumir a responsabilidade exigida para uma eficaz equipe de socorristas? Na maioria das vezes, o recrutamento é feito de algumas maneiras:

1. Método Voluntário (sem pagamento extra):

Pedir a colaboradores para estararem na equipe de resposta de emergência sem remuneração. Na maioria das vezes, não existem muitos funcionários que querem se voluntariar. Alguns não estão confiantes de que podem executar o trabalho;  alguns não querem assumir mais responsabilidades sem aumento de salário. Outros podem ter medo da responsabilidade ou simplesmente não querem assumir a responsabilidade que vem com ser um socorrista. Este método de recrutamento é de longe o mais difícil e pode resultar na obtenção de um mínimo ou nenhum voluntário.

 

2. Método Voluntários (com pagamento extra):

Muitos empregadores podem oferecer pagamento extra para encorajar seus funcionários a se voluntariar para estar na equipe. No entanto, este pagamento de incentivos tipicamente é feito sob a forma de uma hora extra ou um bônus no final do ano. Empregadores que oferecem bônus de pagamento podem ter problemas em recrutar voluntários pois estes têm de desempenhar suas funções primeiro e, em seguida, aguardarem sua remuneração adicional, o que pode ser frustrante e desistimulante.

 

3. Atribuição obrigatória:

Alguns empregadores podem tornar obrigatório a presença na equipe de resposta de emergência para todos os colaboradores. Seja cauteloso com este método pois pode causar insatisfação e condicionar o trabalhador a uma percepção contrária a cultura de segurança do que deveria ser.


Mas a primeira iniciativa sempre é a mudança cultural. Não importa qual o método se utilize para recrutar, a maneira mais eficaz para obter a conscientização é criando uma sólida cultura de segurança. É preciso introduzir essa ideologia em todos os socorristas. Quando existe uma forte cultura de segurança em primeiro lugar, o resultado é uma lista de espera de funcionários que querem estar na equipe de resposta de emergência (socorristas) como sua prioridade número 1, mantendo assim os colaboradores e a comunidade segura. Identificar os funcionários que entendem os deveres e responsabilidades de um socorrista e que estão seriamente comprometidos, são a chave para o sucesso de recrutamento na missão de construir uma equipe de resposta de alto nível, que possa atender qualquer emergência até mesmo sob extrema pressão.

Formação

Agora que você tem os membros da equipe montada, eles precisam de treinamento e formação contínua. Formação leva tempo e dinheiro: o dinheiro para trazer formadores certificados, dinheiro para pagar os funcionários para participar de treinamentos em seus dias de folga, e / ou dinheiro para pagar outros empregados a trabalhar horas extras para que sua equipe de resposta possa participar de treinamentos. Normalmente, os instrutores de treinamento são o seu menor custo, com pagamento de horas extras para empregados sendo o mais.

Para um melhor treinamento, você vai precisar de instrutores não só certificados mas que também tenham passado por experiências reais como socorristas e compreendam totalmente os mais variados tipos de ambientes de trabalho. Muitas vezes, os instrutores são contratados sem experiência no mundo real, não entendo as diferenças entre emergências em diferentes setores. Uma emergência no setor industrial é diferente de um incêndio numa empresa de construção civil, por exemplo. Essa incompreensão pode ocasionar escolhas erradas ou um plano de resposta de emergência inadequado para determinada situação. É preciso também se certificar se o treinamento que você vai fornecer a sua equipe de socorristas inclui cursos certificados e exercícios simulados/práticos em conformidade com a OSHA, NFPA, ANSI, ou EPA, e/ou os órgãos e legislações vigentes em seu país. 

 


Outro fator fundamental é permitir o tempo necessário para os cursos de formação. Muitas empresas querem oferecer um tempo de treinamento reduzido devido ao custo de ter empregados em treinamento e não realizando suas obrigações do dia a dia. É preciso ter consciência da necessidade de serem cumpridas as horas exigidas para a capacitação de qualquer trabalho que seja.

O treinamento deve sempre incluir cursos de formação inicial e de reciclagem, de forma contínua durante todo o ano e não apenas anualmente. Quando você agendar a formação de reciclagem, considere os métodos de formação necessários para garantir a capacitação.

A formação deve ser de alta qualidade e mais realista possível através da realização de extensas maratonas de exercícios simulando situações estressantes, a fim de preparar os socorristas para níveis de estresse real que possam encontrar ao responder a uma emergência real em sua empresa. Esteja ciente de que alguns instrutores não usam o treinamento de exercício simulado; eles treinam apenas por PowerPoint, o que não atende aos requisitos regulamentares para a formação.

Durante o treinamento, identifique junto com seus instrutores de treinamento pessoas que, apesar de terem as melhores intenções ao se inscrever para a equipe de resposta, não possam ser capazes de atender às exigências devido a limitações físicas ou mentais, como tornar-se claustrofóbico quando em um espaço confinado ou ao vestir uma roupa especial para materiais perigosos. Ou talvez simplesmente não sejam capazes de manter a calma durante um evento de alto stress.

Alguns itens chave a serem levados em conta quanto a formação (qualificação) de voluntários para sua equipe de resposta:

 

Não só você precisa treinar sua equipe de resposta, como também precisa ensinar todos os funcionários em suas instalações um plano de resposta de emergência para que saibam o que fazer em caso de emergência. Ao ensinar tanto a sua equipe de resposta quanto funcionários, você irá minimizar o caos e ajudar a reduzir as lesões, confusões e níveis de excitação para que sua equipe de resposta possa atenuar a emergência com sucesso.

Protegendo o equipamento e recursos adequados

Ter o equipamento adequado é fundamental para a sua equipe de resposta cumprir suas funções. Sua instalação está em risco se você está treinando seus membros da equipe sem fornecer as ferramentas necessárias para responder de forma eficaz. Por não investir no equipamento, você paralisar o sucesso global da sua equipe.

Considerar a contratação de uma equipe de serviços de emergência de terceiros para complementar sua equipe e garantir a sua empresa está em conformidade com os regulamentos da OSHA.

Indo além do básico

Recrutamento, treinamento, equipamentos e recursos são apenas os pilares básicos na construção de uma equipe de resposta de emergência. Promovendo uma sólida cultura de segurança e desenvolver uma mentalidade de prioridade cria uma equipe de alto nível que vai fazer a diferença antes, durante e depois de um incidente.

 

Na NR-7, vemos a exigência de material necessário utilizado pelo socorrista em situações de emergência:

 

 

 

Recrutar as pessoas certas:

Como recrutar funcionários que sejam totalmente dispostos, dedicados e comprometidos a assumir a responsabilidade de uma resposta de emergência? Na maioria das vezes, o recrutamento é feito de algumas maneiras:

Lido 2823 vezes Última modificação em Segunda, 25 Abril 2016 19:02

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.


Categorias: