O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE USO DE ANALGÉSICOS E RISCOS NO TRABALHO

Sexta, 04 Novembro 2016 22:00
Avalie este item
(2 votos)



Abuso de drogas no trabalho do tipo analgésicos disparou. O número de Empresas que está oferecendo treinamento sobre uso de drogas prescritas por médicos para trabalhadores, tem aumentado dramaticamente nos Estados Unidos. Este Post é uma tradução de artigo publicado no site OHS on line (link no final) esclarecendo sobre a composição e efeitos dessas drogas no trabalho. Observa-se que no Brasil, o SESMT (NR-4)  já poderia implementar Programas de Educação sobre o assunto e o Ministério introduzir orientações na NR-7 (PCMSO).

By Fred Kohanna

Tradução: Prof. Samuel Gueiros

Um homem de 37 anos estava trabalhando em um telhado de metal quando ele escorregou e caiu 9 metros, esmagando sete vértebras. Foi prescrito OxyContin (opióide) para suas dores nas costas, um analgésico popular. Ele teve que tomar doses cada vez maiores do opióide para aliviar sua dor e sofreu sintomas de dependência da droga (passando mal quando não tomava o remédio). No pico da sua dependência ele já estava tomando 250mg do oxycontin, 3 comp de ibuprofeno 800mg (um antinflamatório) mais um remédio para evitar convulsões (Gabapentina) e um regenerador de nervos danificados (Pregabalina). E ainda tomava mais dois remédios controlados tarja preta (Diazepam e Lorazepam) para tratar espasmos musculares e ansiedade, de acordo com um artigo no jornal londrino The Guardian.  

 

USO E ABUSO DE MEDICAMENTOS 

Abuso de medicamentos do tipo opiáceos no trabalho disparou. De acordo com uma pesquisa realizada em 2015 pelo Conselho Nacional de Segurança (NSC) dos Estados Unidos e pela Força-Tarefa de Prevenção de Abuso de Drogas Prescritas, 80% dos empregadores foram afetados em seus locais de trabalho por abuso de drogas receitadas por médicos e dentistas, incluindo analgésicos opióides.

 

N. T. - Os opiáceos (tipo morfina) são substâncias derivadas do ópio produzindo ações de insensibilidade à dor e são usados principalmente na terapia da dor crônica e da dor aguda de alta intensidade. Esses medicamentos são utilizados com muita cautela pelos médicos, pois podem desenvolver dependência, tornando o paciente viciado. Já os opióides são substâncias artificiais que agem sobre o sistema nervoso de forma semelhante aos opiáceos mas tem o mesmo risco de desenvolver vício.

 


 CONEXÕES NRs 

Utilizando o REMISSIVO do site NRFACIL é possível acessar itens de NRs de forma rápida e articulada. Abaixo, um item da NR-4 que prevê a realização de atividades de conscientização, educação e orientação dos trabalhadores para a prevenção de doenças e acidentes. Um Programa para Educação sobre o uso de drogas analgésicas e antiinflamatórias poderia ser desenvolvida sob essa normatização: 

 

 

 

 

 

 

               

·        Prescrever analgésicos tornou uma rotina nos serviços médicos. As prescrições para analgésicos opióides dispararam de 76 milhões em 1991 para 213 milhões em 2013 - um aumento de 176%, de acordo com o Instituto Nacional sobre o Abuso de Drogas.

 

·        Como as prescrições de analgésicos são realizadas por médicos de atenção primária ou especialistas em dor, os pacientes podem perceber que estão recebendo tratamento confiável, não percebendo os riscos de uso indevido ou abuso e assumir que as pílulas são seguras por qualquer motivo e em qualquer circunstância. Médicos da família e até mesmo dentistas prescrevem medicamentos para a dor.

 

·        Existem padrões reconhecidos e aceitos para determinar os problemas causados por álcool e outras drogas ilícitas, mas inexistem parâmetros sobre os problemas causados por medicamentos analgésicos.

 

·        Muitas empresas pedem que os trabalhadores em posições sensíveis à segurança informem se estão utilizando drogas prescritas, mas a menos que haja um acidente, a maioria das empresas não usa medidas eficazes para garantir uma informação precisa sobre esse uso.

 

·        A medicação para a dor está cada vez mais eficaz. Isso significa que mais pessoas estão trabalhando com doenças crônicas que antes os forçavam a sair do trabalho e até se aposentar. Isso também cria uma maior oportunidade para abusar ou abusar de drogas legalmente prescritas.

Lido 4499 vezes Última modificação em Domingo, 20 Novembro 2016 16:20

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.


Categorias: