ALARME ESTAVA DESLIGADO NO ACIDENTE DA BP

ALARME ESTAVA DESLIGADO NO ACIDENTE DA BP

Um trabalhador chefe da equipe técnica do equipamento afirmou que o alarme de segurança estava geralmente configurado para “travado” para evitar que a tripulação da plataforma fosse despertada durante a madrugada com sirenes e luzes de emergência. Eles não queriam...

Leia mais

ACIDENTE DE TRABALHO, POLÍCIA E PERÍCIA-2

ACIDENTE DE TRABALHO, POLÍCIA E PERÍCIA-2

No post anterior comentamos sobre a progressiva repercussão social de acidentes de trabalho, a ponto de demandar ideias como a implantação de uma Polícia especializada em acidentes de trabalho. Referimos os leitores para os comentários no site NRFACIL de dois especialistas que...

Leia mais

(NR-15) RISCOS QUIMICOS EM SST: O QUE É PERIGOSO?

(NR-15) RISCOS QUIMICOS EM SST: O QUE É PERIGOSO?

Tem-se observado que os limites em vigor estão defasados e que a experiência histórica com esses agentes demonstra que as doenças ocupacionais continuam em expansão nos ambientes de trabalho. Portanto, uma das soluções apontadas para reduzir essas doenças é o...

Leia mais

EXCELENCIA EM ESTRATÉGIA DE SEGURANÇA: OS 4 PONTOS DE FACILITAÇÃO

EXCELENCIA EM ESTRATÉGIA DE SEGURANÇA: OS 4 PONTOS DE FACILITAÇÃO

A estratégia para uma Gestão de Riscos conforme proposto pela OHSAS (Sistemas Internacionais de Gerenciamento em SST) está resumida em um ciclo contínuo no qual articulam-se várias fases, desde ações concretas, como o planejamento, implementação e avaliação, até o último...

Leia mais

NRs 7 (PCMSO) e 15 (INSALUBRIDADE) APRESENTAÇÃO SOBRE TOXICOLOGIA OCUPACIONAL

NRs 7 (PCMSO) e 15 (INSALUBRIDADE) APRESENTAÇÃO SOBRE TOXICOLOGIA OCUPACIONAL

Com a publicação de uma proposta de texto para a nova NR-15 (INSALUBRIDADE), publicamos uma apresentação com slides de uma aula sobre toxicologia ocupacional, assunto ligado também à NR-7 (PCMSO) e à NR-9 (PPRA). Neste post, apresentamos uma parte dos...

Leia mais

ILUSÕES DE AVALIAÇÃO DE RISCOS

ILUSÕES DE AVALIAÇÃO DE RISCOS

O modo como os dados são organizados fazem uma grande diferença nas interpretações lógicas que podem ser feitas posteriormente. Por exemplo, se todas as lesões das costas são agrupadas em uma simples categoria, algumas pessoas poderão concluir facilmente que um...

Leia mais

ROTEIRO PARA UMA INVESTIGAÇÃO DE ACIDENTE DE TRABALHO

ROTEIRO PARA UMA INVESTIGAÇÃO DE ACIDENTE DE TRABALHO

O acidente constitui um evento particular que inicia um ciclo indesejado em segurança no trabalho: acaba momentaneamente o bem estar da prevenção e uma sensação de derrota envolve a equipe do SESMT. Chegou a hora de zerar a estatistica de...

Leia mais

LEGALIZAÇÃO DA MACONHA NOS ESTADOS UNIDOS SOB UMA PERSPECTIVA POPULAR

LEGALIZAÇÃO DA MACONHA NOS ESTADOS UNIDOS  SOB UMA PERSPECTIVA POPULAR

      Consultores de segurança, diretores de recursos humanos, profissionais do SESMT, se mantem confusos e em silencio quando o assunto sobre a legalização da maconha pode se tornar um erro de alto custo para você e sua empresa. Neste post, que...

Leia mais

PLANOS DE CONTINGENCIA: UM NOVO DESAFIO PARA O SESMT

PLANOS DE CONTINGENCIA: UM NOVO DESAFIO PARA O SESMT

Define-se contingência como a possibilidade de um fato acontecer ou não. É uma situação de risco existente, mas que envolve um grau de incerteza quanto à sua efetiva ocorrência. Sucintamente, as condições necessárias para a existência de uma contingência são:...

Leia mais

(NR-7 PCMSO) TOXICOLOGIA OCUPACIONAL: EXPOSIÇÃO COMBINADA A RISCOS

(NR-7 PCMSO) TOXICOLOGIA OCUPACIONAL: EXPOSIÇÃO COMBINADA A RISCOS

Tem sido comum as notícias sobre intoxicações de trabalhadores a diversos agentes de risco, tanto na produção como no transporte: mercúrio (fabricação de lâmpadas fluorescentes), chumbo (baterias), benzeno (combustíveis), entre outros, são os mais citados. Em 2010, um dos casos...

Leia mais

RESGATE NO CHILE: TECNOLOGIA BIOMÉDICA EM SST

RESGATE NO CHILE: TECNOLOGIA BIOMÉDICA EM SST

Quando a equipe de resgate precisou determinar como resgatar com segurança os mineiros chilenos sem que eles perdessem os sentidos e sofressem uma potencial e devastadora fuga de sangue do cérebro, eles procuraram um cientista cuja especialidade era os astronautas...

Leia mais

LOBBY DO AMIANTO GASTA US$ 100MILHÕES NO MUNDO

LOBBY DO AMIANTO GASTA US$ 100MILHÕES NO MUNDO

Segundo pesquisa do Cesteh, os mais afetados pelo amianto são os operários das minas e das indústrias têxtil e de fibrocimento – material usado para produzir telhas e caixas d’água. Desde 1996, os pesquisadores da Fiocruz acompanham cerca de 300...

Leia mais

IDÉIAS PARA ACIDENTE-ZERO - Final

IDÉIAS PARA ACIDENTE-ZERO - Final

Fundamentalmente, um profissional de segurança precisa ter habilidades claras de gerenciamento. Ele ou ela precisam estar aptos para estabelecer as caracteristicas necessárias do pessoal da área, selecionar a pessoa certa no departamento ou na organização, saber onde encontrar respostas sobre...

Leia mais

AGROTÓXICOS: NOVOS DADOS DO CENSO AGROPECUÁRIO

AGROTÓXICOS: NOVOS DADOS DO CENSO AGROPECUÁRIO

Os impactos da exposição a agrotóxicos na saúde reprodutiva em municípios agrícolas do estado do Paraná foi o tema da dissertação de mestrado em saúde pública e meio ambiente da biomédica Gerusa Gibson, publicada na Revista Panamericana de Saúde Pública....

Leia mais

(NR-7 PCMSO) O MÉDICO PODE INFORMAR NO ASO QUE O TRABALHADOR É USUÁRIO DE DROGAS E CONSIDERÁ-LO INAPTO?

(NR-7 PCMSO) O MÉDICO PODE INFORMAR NO ASO QUE O TRABALHADOR É USUÁRIO DE DROGAS E CONSIDERÁ-LO INAPTO?

O consumo de substâncias químicas, lícitas e ilícitas tornou-se um dos temas mais discutidos em relação aos ambientes de trabalho. Um dos aspectos da discussão do problema é se o médico do trabalho deve solicitar, conforme o PCMSO (NR-7), exames...

Leia mais

(NR-17): TREINAMENTO NÃO REDUZ O RISCO DE LESÕES NO TRABALHO DE ELEVAÇÃO MANUAL DE CARGAS

(NR-17): TREINAMENTO NÃO REDUZ O RISCO DE LESÕES NO TRABALHO DE ELEVAÇÃO MANUAL DE CARGAS

Treinamentos para técnicas de elevação manual de cargas continuam a ser utilizados como a principal ferramenta para controlar riscos de trabalhos manuais nos ambientes de trabalho. Entretanto, evidências indicam que não há técnica segura de elevação manual de cargas e...

Leia mais

VOCÊ SABE O QUE É E COMO UTILIZAR O PDSA EM SST?

VOCÊ SABE O QUE É E COMO UTILIZAR O PDSA EM SST?

Se você ler com cuidado, as NRs 4 (SESMT), 5 (CIPA) e 9 PPRA) recomendam inspeções regulares dos locais de trabalho, materiais e equipamentos, realizadas por profissionais qualificados. Mas nem sempre a prática e os resultados dessas inspeções periódicas são...

Leia mais

NR 17 (ERGONOMIA) - A EXCELÊNCIA DA ADAPTAÇÃO AO TRABALHO NO COMPUTADOR

NR 17 (ERGONOMIA) - A EXCELÊNCIA DA ADAPTAÇÃO AO TRABALHO NO COMPUTADOR

Os computadores vão se tornando dispositivos comuns em qualquer ambiente de trabalho. O artigo abaixo mostra os cuidados a serem observados não somente em termos do tamanho do ambiente ocupado pelo computador e pelo operador, mas, sobretudo, para o tipo...

Leia mais

DIÁLOGOS CRÍTICOS EM SEGURANÇA

DIÁLOGOS CRÍTICOS EM SEGURANÇA

Abordamos cinco diálogos críticos que existem na maioria das organizações. Esses diálogos parecem politicamente incorretos ou desconfortáveis para vir à tona, mas entretanto, geralmente não ocorrem. Um grande percentual de 93 por cento dos empregados diz que seu grupo de...

Leia mais

(NRs-6, 7 e 15) PROTEÇÃO AUDITIVA: UM DESAFIO

(NRs-6, 7 e 15) PROTEÇÃO AUDITIVA: UM DESAFIO

O ouvido humano é o órgão responsável pela nossa audição e pelo nosso equilíbrio. É uma máquina extraordinária que permite às pessoas a detecção de frequências sonoras entre 20 Hz e 16 000 Hz e distinguir sons musicais dentro de...

Leia mais

PRINCÍPIOS PARA UMA CULTURA DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO

PRINCÍPIOS PARA UMA CULTURA DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO

O acidente foi assim: o eletricista disse que após 1 mês de trabalho, ao sair do seu turno, deixou um painel de eletricidade desligado, como de costume. Quando chegou para trabalhar no dia seguinte, o painel havia sido ligado sem...

Leia mais

LIÇÕES DE UM ACIDENTE NO PRIMEIRO DIA DE TRABALHO

LIÇÕES DE UM ACIDENTE NO PRIMEIRO DIA DE TRABALHO

Treinamento e supervisão inadequada de dois jovens trabalhadores no seu primeiro dia de trabalho causaram sérias lesões e poderiam tê-los matado. A empresa (de galvanizados) e o seu Diretor foram considerados culpados e receberam uma multa de 200 mil reais por...

Leia mais

EXERCÍCIOS PARA REDUZIR STRESS REDUZEM PRODUTIVIDADE

EXERCÍCIOS PARA REDUZIR STRESS REDUZEM PRODUTIVIDADE

Este Estudo aponta novas visões sobre como o stress afeta a produtividade, particularmente em combinação com exercícios e outros fatores relacionados a estilo de vida. Empregados que se exercitam para monitorar altos níveis de stress no trabalho tem reduzido a...

Leia mais

IDÉIAS PARA ACIDENTE-ZERO Parte 2

IDÉIAS PARA ACIDENTE-ZERO Parte 2

No post anterior, foram discutidos os fundamentos de uma cultura de acidente-zero, criando um alinhamento com aquilo que entendemos como acidente-zero e estabelecendo um envolvimento genuíno com essa visão. Uma vez criado o alinhamento e o envolvimento, qual o próximo...

Leia mais

O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE USO DE ANALGÉSICOS E RISCOS NO TRABALHO

O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE USO DE ANALGÉSICOS E RISCOS NO TRABALHO

Abuso de drogas no trabalho do tipo analgésicos disparou. O número de Empresas que está oferecendo treinamento sobre uso de drogas prescritas por médicos para trabalhadores, tem aumentado dramaticamente nos Estados Unidos. Este Post é uma tradução de artigo publicado...

Leia mais

NR-7 (PCMSO): TESTES DE DETECÇÃO DE DROGAS PARA PROMOÇÃO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO

NR-7 (PCMSO): TESTES DE DETECÇÃO DE DROGAS PARA  PROMOÇÃO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO

Este artigo explora as muitas vantagens de testes de drogas que podem ser utilizados no trabalho e ilustra como a eficácia de um programa de testes está sendo impactado pela rápida evolução de tendências na indústria e na legislação. É importante...

Leia mais

TURNOS ALTERNANTES: RISCOS À SAÚDE NO TRABALHO

TURNOS ALTERNANTES: RISCOS À SAÚDE NO TRABALHO

 Segundo estudos da Organização Mundial da Saúde (OMS), atualmente cerca de 20% das populações dos países desenvolvidos trabalham no período da noite. Nos Estados Unidos, cerca de 25% dos trabalhadores trabalham em turnos alternantes. Esses profissionais perdem cinco anos de...

Leia mais

DIA DO MEIO AMBIENTE (5 JUNHO): O LIXO DOS AGROTÓXICOS NO TRABALHO

DIA DO MEIO AMBIENTE (5 JUNHO): O LIXO DOS AGROTÓXICOS NO TRABALHO

O Brasil já foi campeão mundial de acidentes de trabalho; agora entra para uma lista de campeão mundial do consumo de agrotóxicos, tendo se tornado o principal destino de agrotóxicos banidos de outros países. Neste 5 de junho comemora-se o...

Leia mais

IDÉIAS PARA ACIDENTE-ZERO

IDÉIAS PARA ACIDENTE-ZERO

Falando de forma prática, uma cultura de acidente zero não significa “zero acidente”; na verdade, significa criar um ambiente onde acidentes não sejam aceitáveis e onde podemos fazer todo o possível para preveni-los. Isto quer dizer que não iremos para...

Leia mais

(NR7 PCMSO) O FUMO NO TRABALHO NO DIA MUNDIAL SEM TABACO

(NR7 PCMSO) O FUMO NO TRABALHO NO DIA MUNDIAL SEM TABACO

O número absoluto de pessoas que fumam continua a subir. Esse hábito deve ser sempre considerado nos exames admissionais (PCMSO) naquelas atividades em que existam fatores de risco (poeiras, fumos e névoas) nos ambientes de trabalho e que acabam aumentando...

Leia mais

(NR 17): REENGENHARIA PARA TRABALHADORES IDOSOS

(NR 17): REENGENHARIA PARA TRABALHADORES IDOSOS

A participação das pessoas com 25 anos ou mais de idade no total da população brasileira vem aumentando ano a ano entre 2004 (53,7%) e 2009 (58,4%), enquanto a das pessoas na faixa até 24 anos de idade vem diminuindo...

Leia mais

ACIDENTE DE TRABALHO, POLICIA E PERÍCIA

ACIDENTE DE TRABALHO, POLICIA E PERÍCIA

Os grandes acidentes com mortes de trabalhadores e perdas patrimoniais estão experimentando cada vez mais uma maior visibilidade pública. O resultado é que não só a comunidade SST mas a população em geral vai tomando progressivamente mais informação e consciência...

Leia mais

(NRs 6, 7 e 15) ATUALIZAÇÃO SOBRE O RUÍDO NO TRABALHO

(NRs 6, 7 e 15) ATUALIZAÇÃO SOBRE O RUÍDO NO TRABALHO

A questão do ruído no trabalho tem sido estudado com mais frequência desde quando em 1978 estudos sobre o risco em ambientes industriais apontavam uma incidência acima de 60% de trabalhadores  acometidos de perdas. Em 1990 a disacusia sensorio-neural por...

Leia mais

(NRs 4, 7, 15 e 31) AGENTES QUÍMICOS E ALZHEIMER

(NRs 4, 7, 15 e 31) AGENTES QUÍMICOS E ALZHEIMER

Um novo estudo publicado nos EUA mostrou que pessoas que foram expostas ao pesticida DDT apresentam mais risco de ter mal de Alzheimer do que aquelas sem os traços do agrotóxico no sangue. A doença caracteriza-se principalmente por uma progressiva...

Leia mais

TRABALHO TRANSICIONAL: RETORNANDO AO TRABALHO APÓS UM ACIDENTE

TRABALHO TRANSICIONAL: RETORNANDO AO TRABALHO APÓS UM ACIDENTE

É frequente o número de trabalhadores que se acidentam e retornam ao trabalho sentindo-se inferiores e fragilizados. Outros, quando voltam de alta do benefício, simulam sintomas para permanecerem parados. A empresa percebe dificuldades do “desmame” do benefício, seja por pura...

Leia mais

EXCELENCIA EM ESTRATÉGIA DE SEGURANÇA: OS 4 PONTOS DE FACILITAÇÃO

EXCELENCIA EM ESTRATÉGIA DE SEGURANÇA: OS 4 PONTOS DE FACILITAÇÃO

A estratégia para uma Gestão de Riscos conforme proposto pela OHSAS (Sistemas Internacionais de Gerenciamento em SST) está resumida em um ciclo contínuo no qual articulam-se várias fases, desde ações concretas, como o planejamento, implementação e avaliação, até o último...

Leia mais

O CONTROLE DE RISCOS PARA ACIDENTES NA COLUNA

O CONTROLE DE RISCOS PARA ACIDENTES NA COLUNA

Evidências indicam que não há técnica segura de elevação manual de cargas e nem que qualquer treinamento possa minimizar os riscos. Os acidentes na coluna estão no debate. Veja essa revisão sobre riscos para a coluna nos ambientes de trabalho: O CONTROLE...

Leia mais

(NR-4): PORQUE O SESMT NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO PRECISA UTILIZAR INDICADORES DE TENDENCIAS

(NR-4): PORQUE O SESMT NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO PRECISA UTILIZAR  INDICADORES DE TENDENCIAS

A melhora e evolução contínuas de indicadores de tendencia irão ajudar as organizações a melhorar os registros em segurança e assim reduzir riscos. Existem dois tipos de indicadores: o de tendencia ou direcionadores (leading) e os de resultado (lagging). O...

Leia mais

NRs 7 (PCMSO) e 17 (ERGONOMIA) NOVOS CRITÉRIOS EM EXAMES ADMISSIONAIS

NRs 7 (PCMSO) e 17 (ERGONOMIA) NOVOS CRITÉRIOS EM EXAMES ADMISSIONAIS

Os primeiros resultados do NTEP – Nexo Técnico Epidemiológico Previdenciário, evidenciam a importância da ergonomia como ferramenta de gestão em SST. Além disso, novos critérios, incluindo variáveis ergonômicas e testes em simuladores vão sendo adicionados ao espaço dos exames admissionais...

Leia mais

EPI, ERGONOMIA E INSALUBRIDADE: OS VINCULOS ENTRE AS NRS 6, 15 E 17

EPI, ERGONOMIA E INSALUBRIDADE: OS VINCULOS ENTRE AS NRS 6, 15 E 17

70% dos acidentes industriais são decorrentes do stress: falta de atenção, cansaço, desmotivação. Segundo um Estudo, 40% das pessoas pedem demissão ou são demitidas porque estão estressadas com o trabalho. Além disso, uma rotatividade elevada de pessoal acarreta custos para...

Leia mais

ROTEIRO PARA UMA INVESTIGAÇÃO DE ACIDENTE DE TRABALHO – PARTE 2

ROTEIRO PARA UMA INVESTIGAÇÃO DE ACIDENTE DE TRABALHO – PARTE 2

Em algumas situações a testemunha pode ser a fonte primária de informação visto que você pode ser chamado para investigar um acidente sem estar em condições de examinar a cena imediatamente após o evento. Devido ao fato de que a...

Leia mais

TOP 10 NRFACIL 2014

TOP 10 NRFACIL 2014

Veja quais foram os 10 artigos mais acessados e curtidos no Facebook do site em 2014!   TAGS: O REMISSIVO DAS NRS EM TABLETS E CELULARES, PVE - PONTOS DE VERIFICAÇÃO ERGONÔMICA E AS NRS, OS CARD - ORDEM DE SERVIÇO EM SEGURANÇA...

Leia mais

(NRs 4, 5, 7 e 17) DIA MUNDIAL DA SAÚDE: HIPERTENSÃO E TRABALHO

(NRs 4, 5, 7 e 17) DIA MUNDIAL DA SAÚDE: HIPERTENSÃO E TRABALHO

  O Dia Mundial da Saúde é celebrado em 07 de abril para comemorar o aniversário da criação da Organização Mundial da Saúde. Neste ano o tema relevante e de interesse prioritário é a hipertensão.  A Campanha deste ano visa motivar...

Leia mais

NRs 7, 15, 18 e 29: EXPOSIÇÃO OCUPACIONAL AO CHUMBO

NRs 7, 15, 18 e 29: EXPOSIÇÃO OCUPACIONAL AO CHUMBO

Metal pesado encontrado em abundância na crosta terrestre, o chumbo é o poluente de maior ameaça em escala global: estima-se que 10 milhões de pessoas vivam em regiões contaminadas. Material químico chave para a criação de baterias de carro (...

Leia mais

LEGALIZAÇÃO DA MACONHA NOS ESTADOS UNIDOS SOB UMA PERSPECTIVA POPULAR
(NR-4): PORQUE O SESMT NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO PRECISA UTILIZAR INDICADORES DE TENDENCIAS
O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE USO DE ANALGÉSICOS E RISCOS NO TRABALHO
NR-7 (PCMSO): TESTES DE DETECÇÃO DE DROGAS PARA PROMOÇÃO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO
EXCELENCIA EM ESTRATÉGIA DE SEGURANÇA: OS 4 PONTOS DE FACILITAÇÃO
TOP 10 NRFACIL 2014
O CONTROLE DE RISCOS PARA ACIDENTES NA COLUNA
(NRs 4, 5, 7 e 17) DIA MUNDIAL DA SAÚDE: HIPERTENSÃO E TRABALHO
(NR-17): TREINAMENTO NÃO REDUZ O RISCO DE LESÕES NO TRABALHO DE ELEVAÇÃO MANUAL DE CARGAS
(NR-7 PCMSO) O MÉDICO PODE INFORMAR NO ASO QUE O TRABALHADOR É USUÁRIO DE DROGAS E CONSIDERÁ-LO INAPTO?
PRINCÍPIOS PARA UMA CULTURA DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO
VOCÊ SABE O QUE É E COMO UTILIZAR O PDSA EM SST?
NRs 7 (PCMSO) e 15 (INSALUBRIDADE) APRESENTAÇÃO SOBRE TOXICOLOGIA OCUPACIONAL
(NRs 6, 7 e 15) ATUALIZAÇÃO SOBRE O RUÍDO NO TRABALHO
EXCELENCIA EM ESTRATÉGIA DE SEGURANÇA: OS 4 PONTOS DE FACILITAÇÃO
(NR7 PCMSO) O FUMO NO TRABALHO NO DIA MUNDIAL SEM TABACO
NR-15 (INSALUBRIDADE) AUMENTA O RISCO DE CÂNCER OCUPACIONAL
(NR-6 EPI) CONFORTO, AJUSTE E ESTILO: O MUNDO DA MODA CHEGA AOS EPIs
NRs 7 (PCMSO) e 17 (ERGONOMIA) NOVOS CRITÉRIOS EM EXAMES ADMISSIONAIS
NOVAS PERSPECTIVAS EM INVESTIGAÇÃO DE ACIDENTES
(NR-7 PCMSO) TOXICOLOGIA OCUPACIONAL: EXPOSIÇÃO COMBINADA A RISCOS
NR 17 (ERGONOMIA) - A EXCELÊNCIA DA ADAPTAÇÃO AO TRABALHO NO COMPUTADOR
EXERCÍCIOS PARA REDUZIR STRESS REDUZEM PRODUTIVIDADE
ILUSÕES DE AVALIAÇÃO DE RISCOS
(NR-15) RISCOS QUIMICOS EM SST: O QUE É PERIGOSO?
ACIDENTE DE TRABALHO, POLÍCIA E PERÍCIA-2
ACIDENTE DE TRABALHO, POLICIA E PERÍCIA
(NRs 4, 7, 15 e 31) AGENTES QUÍMICOS E ALZHEIMER
IDÉIAS PARA ACIDENTE-ZERO - Final
IDÉIAS PARA ACIDENTE-ZERO Parte 2
NRs 7, 15, 18 e 29: EXPOSIÇÃO OCUPACIONAL AO CHUMBO
(NR 17): REENGENHARIA PARA TRABALHADORES IDOSOS
IDÉIAS PARA ACIDENTE-ZERO
RESGATE NO CHILE: TECNOLOGIA BIOMÉDICA EM SST
ESTUDO DE NRs DIGITAIS: O GRUPO III (NRs 4,5,7 e 9)
ALARME ESTAVA DESLIGADO NO ACIDENTE DA BP
LIÇÕES DE UM ACIDENTE NO PRIMEIRO DIA DE TRABALHO
(NRs-6, 7 e 15) PROTEÇÃO AUDITIVA: UM DESAFIO
LOBBY DO AMIANTO GASTA US$ 100MILHÕES NO MUNDO
DIA DO MEIO AMBIENTE (5 JUNHO): O LIXO DOS AGROTÓXICOS NO TRABALHO
DIÁLOGOS CRÍTICOS EM SEGURANÇA
TRABALHO TRANSICIONAL: RETORNANDO AO TRABALHO APÓS UM ACIDENTE
AGROTÓXICOS: NOVOS DADOS DO CENSO AGROPECUÁRIO
ROTEIRO PARA UMA INVESTIGAÇÃO DE ACIDENTE DE TRABALHO – PARTE 2
EPI, ERGONOMIA E INSALUBRIDADE: OS VINCULOS ENTRE AS NRS 6, 15 E 17
PLANOS DE CONTINGENCIA: UM NOVO DESAFIO PARA O SESMT
ROTEIRO PARA UMA INVESTIGAÇÃO DE ACIDENTE DE TRABALHO
TURNOS ALTERNANTES: RISCOS À SAÚDE NO TRABALHO

DataShow

SEGURANÇA NO USO DE EMPILHADEIRA
AS 7 PRINCIPAIS CAUSAS DE ACIDENTES NA CONSTRUÇÃO CIVIL
REDE DESENERGIZADA: REGRAS DE OURO
DIFERENÇAS ENTRE PERIGO X RISCO
RISCOS ELÉTRICOS E PROTEÇÃO PARA OS PÉS
CONGRESSO MUNDIAL: PREVENÇÃO DE QUEDAS NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO
10 QUESTÕES SOBRE O USO DO CAPACETE
DIÁLOGOS CRÍTICOS EM SST
USANDO A LUVA DE SEGURANÇA ADEQUADA
ROTEIRO COMPLETO PARA TRABALHO EM ALTURA (NR 35)
INSALUBRIDADE X PERICULOSIDADE: DIFERENÇAS
TÓPICOS SELECIONADOS DE TOXICOLOGIA OCUPACIONAL
RUÍDO E VIBRAÇÃO
CONGRESSO MUNDIAL: PROBLEMAS AUDITIVOS E NÃO AUDITIVOS RELACIONADOS AO RUÍDO
CONGRESSO MUNDIAL: UM JOGO PARA MONITORAR LER-DORT
CONGRESSO MUNDIAL: STRESS NO TRABALHO E ALTA SENSIBILIDADE À PROTEINA C REATIVA
DICAS DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES E DOENÇAS NO TRABALHO
AGROTÓXICOS
NEXO TÉCNICO EPIDEMIÓLOGICO PREVIDENCIÁRIO
PRINCÍPIOS EM SAFE DESIGN E AS NRS
IBUTG: ROTEIRO PARA CALCULAR SEM DECORAR
DIFERENÇAS ENTRE ACIDENTE, INCIDENTE, ATO INSEGURO E CONDIÇÕES INSEGURAS NA SEGURANÇA DO TRABALHO
GESTÃO DE RISCOS PARA PREVENÇÃO DE INCÊNDIO E EXPLOSÃO
DIFERENÇA ENTRE UM TRABALHADOR QUALIFICADO, CAPACITADO, HABILITADO, ATUORIZADO E AMBIENTADO
FERRAMENTAS MANUAIS E A SEGURANÇA NO TRABALHO
GESTÃO EM SST NA TERCEIRIZAÇÃO
A GESTÃO DO TEMPO E AS NRS EM SST
PVE - PONTOS DE VERIFICAÇÃO ERGONÔMICA E AS NRs
OS CARD - ORDEM DE SERVIÇO EM SEGURANÇA NO TRABALHO
CONGRESSO MUNDIAL: BRASILEIROS NO CONGRESSO MUNDIAL SST
DIMENSIONAMENTO DA CIPA E DO SESMT COM O NRFACIL
CARTAZES DE SEGURANÇA E AS NRs
CLASSIFICAÇÃO DE NRS