CONFIRA AS PRINCIPAIS DÚVIDAS E RESPOSTAS SOBRE A NR-17

Quarta, 09 Setembro 2015 01:46
Avalie este item
(3 votos)

Confira as principais dúvidas e respostas sobre a NR 17


Para que serve a Análise Ergonômica do Trabalho?

Para avaliar se as condições de trabalho estão adaptadas às características psicofisiológicas dos trabalhadores, de modo a proporcionar um máximo de conforto, segurança e desempenho eficiente.

Quais empresas são obrigadas a realizar a Análise Ergonômica do Trabalho (AET)?

Todas as empresas são obrigadas a realizar a análise de acordo com a Norma Regulamentadora 17 – Ergonomia

Quais são os principais quesitos avaliados por uma Análise Ergonômica do Trabalho?

São analisados levantamento, transporte e descarga individual de materiais; mobiliário dos postos de trabalho; equipamentos dos postos de trabalho; condições ambientais de trabalho e a organização do trabalho.

O que é considerado em uma AET no item levantamento, transporte e descarga individual de materiais?

Transporte manual de cargas designa todo transporte no qual o peso da carga é suportado inteiramente por um só trabalhador, compreendendo o levantamento e a deposição da carga. O transporte manual regular de cargas designa toda atividade realizada de maneira contínua ou que inclua, mesmo de forma descontínua, o transporte manual de cargas.

O que é considerado em uma AET no item mobiliário dos postos de trabalho?

São avaliados os parâmetros para trabalho manual sentado ou que tenha de ser feito em pé, as bancadas, mesas, escrivaninhas e os painéis devem proporcionar ao trabalhador condições de boa postura, visualização e operação e devem atender aos seguintes requisitos mínimos:

a) ter altura e características da superfície de trabalho compatíveis com o tipo de atividade, com a distância requerida dos olhos ao campo de trabalho e com a altura do assento;

b) ter área de trabalho de fácil alcance e visualização pelo trabalhador;

c) ter características dimensionais que possibilitem posicionamento e movimentação adequados dos segmentos corporais.

Para trabalho que necessite também da utilização dos pés, além dos requisitos estabelecidos acima, os pedais e demais comandos para acionamento pelos pés devem ter posicionamento e dimensões que possibilitem fácil alcance, bem como ângulos adequados entre as diversas partes do corpo do trabalhador, em função das características e peculiaridades do trabalho a ser executado.

Quais os cuidados que devemos ter com os assentos utilizados nos postos de trabalho?

Devem atender aos seguintes requisitos mínimos de conforto:

a) altura ajustável à estatura do trabalhador e à natureza da função exercida;

b) características de pouca ou nenhuma conformação na base do assento;

c) borda frontal arredondada;

d) encosto com forma levemente adaptada ao corpo para proteção da região lombar.

Para as atividades em que os trabalhos devam ser realizados sentados, a partir da análise ergonômica do trabalho, poderá ser exigido suporte para os pés, que se adapte ao comprimento da perna do trabalhador.

Para as atividades em que os trabalhos devam ser realizados de pé, devem ser colocados assentos para descanso em locais em que possam ser utilizados por todos os trabalhadores durante as pausa (quando exigido).

Quais os cuidados que uma empresa tem que ter com os equipamentos dos postos de trabalho?

Todos os equipamentos que compõem um posto de trabalho devem estar adequados às características psicofisiológicas dos trabalhadores e à natureza do trabalho a ser executado. Nas atividades que envolvam leitura de documentos para digitação, datilografia ou mecanografia deve:

a) ser fornecido suporte adequado para documentos que possa ser ajustado proporcionando boa postura, visualização e operação, evitando movimentação frequente do pescoço e fadiga visual;

b) ser utilizado documento de fácil legibilidade sempre que possível, sendo vedada a utilização do papel brilhante, ou de qualquer outro tipo que provoque ofuscamento.

Os equipamentos utilizados no processamento eletrônico de dados com terminais de vídeo devem observar o seguinte:

a) condições de mobilidade suficientes para permitir o ajuste da tela do equipamento à iluminação do ambiente, protegendo-a contra reflexos, e proporcionar corretos ângulos de visibilidade ao trabalhador;

b) o teclado deve ser independente e ter mobilidade, permitindo ao trabalhador ajustá-lo de acordo com as tarefas a serem executadas;

c) a tela, o teclado e o suporte para documentos devem ser colocados de maneira que as distâncias olho tela, olho teclado e olho-documento sejam aproximadamente iguais;

d) serem posicionados em superfícies de trabalho com altura ajustável.

Ao elaborar uma AET, quais os cuidados que uma empresa tem que levar em consideração para avaliar as condições ambientais de trabalho?

Nos locais de trabalho onde são executadas atividades que exijam solicitação intelectual e atenção constantes, tais como: salas de controle, laboratórios, escritórios, salas de desenvolvimento ou análise de projetos, dentre outros, são recomendadas as seguintes condições de conforto:

a) níveis de ruído de acordo com o estabelecido na NBR 10152, norma brasileira registrada no INMETRO;

b) índice de temperatura efetiva entre 20oC (vinte) e 23oC (vinte e três graus centígrados);

c) velocidade do ar não superior a 0,75m/s; d) umidade relativa do ar não inferior a 40 (quarenta) por cento.

Deve ser considerado, também, que a iluminação geral seja uniformemente distribuída e difusa, projetada e instalada de forma a evitar ofuscamento, reflexos incômodos, sombras e contrastes excessivos.

Ao elaborar uma AET, quais os cuidados que uma empresa tem que levar em consideração ao avaliar a organização do trabalho?

a) as normas de produção;

b) o modo operatório;

c) a exigência de tempo;

d) a determinação do conteúdo de tempo;

e) o ritmo de trabalho;

f) o conteúdo das tarefas e as mesmas estão adequados às características psicofisiológicas dos trabalhadores e à natureza do trabalho a ser executado.

b) o modo operatório;

c) a exigência de tempo;

d) a determinação do conteúdo de tempo;

e) o ritmo de trabalho;

f) o conteúdo das tarefas e as mesmas estão adequados às características psicofisiológicas dos trabalhadores e à natureza do trabalho a ser executado.

O que é a Análise Ergonômica do Trabalho (AET)?

A Análise Ergonômica do Trabalho (AET) é um método de avaliação da adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores. É um processo construtivo e participativo para a resolução de um problema complexo que exige o conhecimento das tarefas, da atividade desenvolvida para realizá-las e das dificuldades enfrentadas para se atingirem o desempenho e a produtividade exigidos. Compreende basicamente as seguintes etapas (GUÉRIN et al, 2001):

Análise da demanda: análise e reformulação da demanda, apresentando uma proposta de ação, os meios necessários e os prazos de execução;

Análise da tarefa: análise das condições determinadas pela empresa aos trabalhadores;

Análise da atividade: observação das atividades, com o objetivo de identificar agentes físicos, cognitivos e organizacionais no trabalho;

Caderno de encargos: caracterizado pelo projeto de intervenção ergonômica.

Como o estudo da Ergonomia pode ser dividido?

Atualmente, a Ergonomia pode ser dividida, basicamente, em três campos de estudo:

Ergonomia física – seu foco são os aspectos físicos da situação de trabalho, incluindo o estudo da postura do trabalhador, manuseio de materiais, movimentos repetitivos, Distúrbios Ósteomusculares Relacionados ao Trabalho (LER/DORT), projeto do posto de trabalho, segurança e saúde.

Ergonomia cognitiva – trata dos aspectos mentais da atividade laboral, como percepção, memória, raciocínio e resposta motora, que podem afetar as interações entre os indivíduos e seu trabalho.

Ergonomia organizacional – tem como objetivo melhorar a organização produtiva do trabalho. Seu campo de estudo inclui as estruturas organizacionais, políticas e de processos produtivos.

Quais os benefícios da intervenção ergonômica para a indústria?

A intervenção ergonômica contribui para a melhoria nas condições de saúde e segurança dos trabalhadores e na eficiência e produtividade da empresa. A intervenção ergonômica reduz as despesas médicas com tratamentos por doenças ocasionadas no trabalho, diminuindo ainda as horas perdidas com estas lesões.

A gestão adequada dos processos produtivos juntamente com a intervenção ergonômica promove um ambiente propício dentro das organizações, mantendo a eficiência e qualidade da produção das indústrias. Portanto, a promoção da segurança e saúde do trabalho, incluindo as ações ergonômicas, é economicamente vantajosa, além de ser uma obrigação legal e dever moral, devido aos aspectos sociais envolvidos (BARKOKÉBAS JR., 2006).

Qual a importância da ergonomia para as pequenas e médias indústrias?

A ergonomia proporciona vantagens evidentes para as pequenas e médias indústrias. A ação ergonômica demonstra seus resultados de forma mais visível nas indústrias menores, devido a maior interligação entre as ações e seus respectivos benefícios, com ganhos na produtividade e redução do absenteísmo (falta ao trabalho) trazido por mudanças sobre aspectos físicos, cognitivos e organizacionais do trabalho.

A ausência de ações ergonômicas configura-se como prejudicial não só para os trabalhadores, que perderão em termos de saúde, segurança e melhora de sua produtividade individual, mas também para a indústria, que pode sofrer perdas na produtividade global. Essas perdas são configuradas pela ineficácia na operação dos equipamentos projetados para determinadas atividades, bem como nos resultados esperados dos sistemas de trabalho, com consequente redução do desempenho competitivo e aumento do absenteísmo laboral (MAFRA, 2004).

Lido 1786 vezes Última modificação em Quinta, 10 Setembro 2015 01:59

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Redator

(NRS 10, 12, 18, 31 E 33) ATMOSFERAS EXPLOSIVAS
NR-35: TREINAMENTO TEÓRICO E PRÁTICO
GUIA DE ANÁLISES ACIDENTE DE TRABALHO
INFORMAÇÕES BÁSICAS SOBRE CORDAS DE SEGURANÇA
SEGURANÇA E UTILIZAÇÃO DE ABRASIVOS
O QUE VOCÊ ESPERA DA EMPRESA?
NR-20: AS 3 CLASSES DE INSTALAÇÕES
ABC DO TRABALHO EM EMBARCAÇÕES
MOTOBOY: CARTILHA PARA PREVENÇÃO DE ACIDENTES NO TRANSITO
GLOSSÁRIO DO INCÊNDIO
SALÁRIO DOS TÉCNICOS DE SEGURANÇA: VEJA PORQUE É BAIXO
(NR-35) 10 ELEMENTOS BÁSICOS EM PROTEÇÃO DE QUEDAS
50 TONS DE SEGURANÇA NO TRABALHO
CONFIRA AS PRINCIPAIS DÚVIDAS E RESPOSTAS SOBRE A NR-17
SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHADOR (SST) NAS SUBCONTRATAÇÕES: QUESTÕES ATUAIS
SEGURANÇA NA UTILIZAÇÃO DE ANDAIMES
CARTILHA PARA SEGURANÇA NO CANTEIRO DE OBRAS
O STRESS DO EPI
O QUE FAZER NO LOCAL APÓS UM ACIDENTE DE TRABALHO?
O PERIGO DO AMIANTO
LOBBY DO AMIANTO GASTA US$ 100 MILHÕES NO MUNDO
AMIANTO: PERGUNTAS E RESPOSTAS
RUÍDO AERONÁUTICO: IMPACTOS E PERSPECTIVAS ATUAIS
RUÍDO SOMADO À EXPOSIÇÃO A PRODUTOS QUÍMICOS PODE CAUSAR DANOS DEVASTADORES A AUDIÇÃO
CALOR EM AMBIENTE EXTERNO É INSALUBRE?
5 RECOMENDAÇÕES PARA QUEM TRABALHA EM PÉ
BERNARDINO RAMAZZINI - AS DOENÇAS DOS TRABALHADORES (2016)
(NR-9) NÍVEL DE AÇÃO: DEIXANDO SEU PPRA A PROVA DE BALA
OS 10 MANDAMENTOS DO SOCORRISTA
DECAPAGEM QUÍMICA
PROBLEMAS LIGADOS AO ÁLCOOL E AS DROGAS NA SEGURANÇA NO TRABALHO
PONTOS DE VERIFICAÇÃO ERGONÔMICA NA AGRICULTURA
CARTILHA LER-DORT
PREVENÇÃO DE EXPOSIÇÃO AO BENZENO NO BRASIL
DOCUMENTOS MÍNIMOS PARA ATENDIMENTO À NR-12
A BASE DE CÁLCULO DO ADICIONAL DE INSALUBRIDADE
INSALUBRIDADE E PERICULOSIDADE: PERGUNTAS E RESPOSTAS
COMO CALCULAR ADICIONAL DE INSALUBRIDADE
PARA NÃO ESQUECER: 9 MOTIVOS PARA VOCÊ SE PREOCUPAR COM A NOVA LEI DA TERCEIRIZAÇÃO
TRABALHO AEROPORTUÁRIO E PERICULOSIDADE
CÓDIGO DE ÉTICA DOS TÉCNICOS DE SEGURANÇA DO TRABALHO
Monografia: O DIREITO À PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE DO TRABALHO PORTUÁRIO
INSS: DIREITO DE REGRESSO EM AÇÕES ACIDENTÁRIAS
(NR-5 CIPA) CULPA E RISCO EM ACIDENTE DE TRABALHO
ANÁLISE DE ACIDENTES: O FIM DA CAT?
ANÁLISE DOS SINAIS PRECURSORES DO ACIDENTE DA P-34
DA MEDICINA DO TRABALHO À SAÚDE DO TRABALHADOR
VEJA COMO ATUALIZAR SEU SOFTWARE
15 DICAS QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE LINHAS DE VIDA
AFINAL, O QUE É TESTE CARGA?
AFINAL, PODE OU NÃO ILUMINÂNCIA NO PPRA?
SESMT: PERGUNTAS E RESPOSTAS (MTE - 2016)
PROTOCOLO DE SEGURANÇA NO TRABALHO NAS OBRAS DAS OLIMPÍADAS RIO 2016
E-SOCIAL: UMA NOVA ERA NAS RELAÇÕES ENTRE EMPREGADORES, EMPREGADOS E GOVERNO (POR FELIPE COSTA, TST)
MODELAGEM COMPUTACIONAL APLICADA PARA SEGURANÇA/PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIOS
TIPOS DE FERRAMENTAS MANUAIS
MTE: ESTRATÉGIA NACIONAL PARA REDUÇÃO DE ACIDENTES NO TRABALHO 2015-2016
GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHADOR
UTILIZANDO UMA MATRIZ DE RISCO
GESTÃO DE RISCO NA CONSTRUÇÃO CIVIL
A GESTÃO ESTRATÉGICA DA INFORMAÇÃO DE SAÚDE DO TRABALHADOR

Assine já e participe 

dos nossos grupos 

no Whats App!

Conheça profissionais 

de todo Brasil e tire

suas dúvidas!