DOCUMENTOS MÍNIMOS PARA ATENDIMENTO À NR-12

Quinta, 28 Setembro 2017 05:34
Avalie este item
(1 Votar)

 

Olá, sou Douglas Custódio, especialista em SST
e colaborador do site NRFACIL e hoje vamos falar sobre NR-12.

Se você tem máquinas e equipamentos que necessitam fazer
a adequação de NR-12 e sempre se pergunta:
será que está faltando alguma coisa?

Vou listar documentos mínimos que uma
fiscalização exige e apontar os cuidados para elaborar.

 

1 - Inventário de Máquinas


Faça o download


Este documento deverá conter todas as máquinas que existem na planta fabril. Ele deve ter no mínimo um descritivo da máquina; a localização dessa máquina, para você conseguir enxergar isso na planta baixa; dados da máquina, potencia, quilowatts, watts ou capacidade como produtividade ou até mesmo capacidade de uma prensa em toneladas. E se você tiver, a Análise de Risco.

O objetivo deste documento é ter um panorama geral de todas as máquinas que tem na sua planta e com isso conseguir categorizar e priorizar as ações para redução de risco em todas as suas máquinas. E é claro que serve também para fiscalização do MTE, quando pegar a lista vai saber onde estão os riscos maiores na sua planta.

 

2 - Planta baixa   

Esta planta baixa deve conter a posição das máquinas na fábrica. Não é necessário que represente a escala precisa.

Você pode incrementar algumas informações como posição dos operadores, fluxo de processo e material ou até mesmo variações ferramentais.

Com a Planta baixa e Inventário prontos, podemos chegar à cada uma das maquinas mais rapidamente e sem necessidade de conhecer a planta.

 

3 - Analise de Risco

 


Faça o download

Este é o item mais importante dentre os que estou falando aqui, pois nele estarão mapeados os riscos existentes na máquina, e com ele dará as ações para redução dos riscos.

A análise de risco é exigida pela NR12 mas não é o documento que te dirá o que está atendendo ou não, esta indicação é dada no Diagnóstico que falarei em seguida.

Para executar a Análise de Risco devemos utilizar Norma Brasileira NBR ISO 12100:2013 que é a norma sobre Segurança de máquinas – Princípios gerais de projeto e Apreciação e redução de riscos

E também a norma internacional ISO/TR 14121-2:2012

É muito importante que o profissional que faça a Análise de Risco elabore segundo estas normas.

Este documento deve ter um engenheiro como responsável técnico com registro no Crea, ou seja, uma ART, Anotação de Responsabilidade Técnica.

 

4 - Diagnóstico

Neste documento será apontado todos os pontos que estão atendendo ou não a NR-12 e também os itens que não se aplicam. Deverá conter no mínimo o item da NR-12 correspondente, uma evidência e o diagnóstico.

A confusão com a Análise de Risco está que a NR-12 indica o COMO deve ser uma proteção móvel e fixa, por exemplo, e na Análise de Risco aponta a NECESSIDADE da proteção para redução do risco.

 

5 - Plano de Ação

Este documento não é exigido pela NR12, mas na minha visão é indispensável para se conseguir executar a adequação da NR12 e redução do risco da máquina.

Este plano apontará ações de origem da Análise de Risco e do Diagnóstico, neste plano deverá conter no mínimo:

O QUE, COMO, QUEM, QUANDO, QUANTO.

 

6 - Manuais de operação e manutenção

Os manuais devem acompanhar as máquinas compradas, e segundo o código do consumidor brasileiro, deverá estar em língua portuguesa.

Você pode pensar: Espera um pouquinho, pensei que fosse a NR-12 que exigisse isso…

Você está certo e errado, pois está pedido nos dois lugares. Estes documentos são base para o manuseio da máquina seja pelo operador ou pela equipe de manutenção.

 

Lido 253 vezes Última modificação em Quinta, 28 Setembro 2017 20:59

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Redator

(NRS 10, 12, 18, 31 E 33) ATMOSFERAS EXPLOSIVAS
NR-35: TREINAMENTO TEÓRICO E PRÁTICO
GUIA DE ANÁLISES ACIDENTE DE TRABALHO
INFORMAÇÕES BÁSICAS SOBRE CORDAS DE SEGURANÇA
SEGURANÇA E UTILIZAÇÃO DE ABRASIVOS
O QUE VOCÊ ESPERA DA EMPRESA?
NR-20: AS 3 CLASSES DE INSTALAÇÕES
ABC DO TRABALHO EM EMBARCAÇÕES
MOTOBOY: CARTILHA PARA PREVENÇÃO DE ACIDENTES NO TRANSITO
GLOSSÁRIO DO INCÊNDIO
SALÁRIO DOS TÉCNICOS DE SEGURANÇA: VEJA PORQUE É BAIXO
(NR-35) 10 ELEMENTOS BÁSICOS EM PROTEÇÃO DE QUEDAS
50 TONS DE SEGURANÇA NO TRABALHO
CONFIRA AS PRINCIPAIS DÚVIDAS E RESPOSTAS SOBRE A NR-17
SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHADOR (SST) NAS SUBCONTRATAÇÕES: QUESTÕES ATUAIS
SEGURANÇA NA UTILIZAÇÃO DE ANDAIMES
CARTILHA PARA SEGURANÇA NO CANTEIRO DE OBRAS
O STRESS DO EPI
O QUE FAZER NO LOCAL APÓS UM ACIDENTE DE TRABALHO?
O PERIGO DO AMIANTO
LOBBY DO AMIANTO GASTA US$ 100 MILHÕES NO MUNDO
AMIANTO: PERGUNTAS E RESPOSTAS
RUÍDO AERONÁUTICO: IMPACTOS E PERSPECTIVAS ATUAIS
RUÍDO SOMADO À EXPOSIÇÃO A PRODUTOS QUÍMICOS PODE CAUSAR DANOS DEVASTADORES A AUDIÇÃO
CALOR EM AMBIENTE EXTERNO É INSALUBRE?
5 RECOMENDAÇÕES PARA QUEM TRABALHA EM PÉ
BERNARDINO RAMAZZINI - AS DOENÇAS DOS TRABALHADORES (2016)
(NR-9) NÍVEL DE AÇÃO: DEIXANDO SEU PPRA A PROVA DE BALA
OS 10 MANDAMENTOS DO SOCORRISTA
DECAPAGEM QUÍMICA
PROBLEMAS LIGADOS AO ÁLCOOL E AS DROGAS NA SEGURANÇA NO TRABALHO
PONTOS DE VERIFICAÇÃO ERGONÔMICA NA AGRICULTURA
CARTILHA LER-DORT
PREVENÇÃO DE EXPOSIÇÃO AO BENZENO NO BRASIL
DOCUMENTOS MÍNIMOS PARA ATENDIMENTO À NR-12
A BASE DE CÁLCULO DO ADICIONAL DE INSALUBRIDADE
INSALUBRIDADE E PERICULOSIDADE: PERGUNTAS E RESPOSTAS
COMO CALCULAR ADICIONAL DE INSALUBRIDADE
PARA NÃO ESQUECER: 9 MOTIVOS PARA VOCÊ SE PREOCUPAR COM A NOVA LEI DA TERCEIRIZAÇÃO
TRABALHO AEROPORTUÁRIO E PERICULOSIDADE
CÓDIGO DE ÉTICA DOS TÉCNICOS DE SEGURANÇA DO TRABALHO
Monografia: O DIREITO À PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE DO TRABALHO PORTUÁRIO
INSS: DIREITO DE REGRESSO EM AÇÕES ACIDENTÁRIAS
(NR-5 CIPA) CULPA E RISCO EM ACIDENTE DE TRABALHO
ANÁLISE DE ACIDENTES: O FIM DA CAT?
ANÁLISE DOS SINAIS PRECURSORES DO ACIDENTE DA P-34
DA MEDICINA DO TRABALHO À SAÚDE DO TRABALHADOR
VEJA COMO ATUALIZAR SEU SOFTWARE
15 DICAS QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE LINHAS DE VIDA
AFINAL, O QUE É TESTE CARGA?
AFINAL, PODE OU NÃO ILUMINÂNCIA NO PPRA?
SESMT: PERGUNTAS E RESPOSTAS (MTE - 2016)
PROTOCOLO DE SEGURANÇA NO TRABALHO NAS OBRAS DAS OLIMPÍADAS RIO 2016
E-SOCIAL: UMA NOVA ERA NAS RELAÇÕES ENTRE EMPREGADORES, EMPREGADOS E GOVERNO (POR FELIPE COSTA, TST)
MODELAGEM COMPUTACIONAL APLICADA PARA SEGURANÇA/PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIOS
TIPOS DE FERRAMENTAS MANUAIS
MTE: ESTRATÉGIA NACIONAL PARA REDUÇÃO DE ACIDENTES NO TRABALHO 2015-2016
GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHADOR
UTILIZANDO UMA MATRIZ DE RISCO
GESTÃO DE RISCO NA CONSTRUÇÃO CIVIL
A GESTÃO ESTRATÉGICA DA INFORMAÇÃO DE SAÚDE DO TRABALHADOR

Assine já e participe 

dos nossos grupos 

no Whats App!

Conheça profissionais 

de todo Brasil e tire

suas dúvidas!