A LINGUAGEM QUE ESTÁ NO RÓTULO DO AGROTÓXICO É INACESSÍVEL PARA O AGRICULTOR

Quarta, 16 Agosto 2017 13:28
Avalie este item
(0 votos)



O Brasil utiliza cerca de 1 milhão de toneladas de agroquímicos por safra. Ou agrotóxicos, como são chamados popularmente. E tem recebido severas críticas de setores da sociedade, como ONGs ambientalistas. Mas, segundo especialistas, o consumo é compatível com a área plantada, embora falte orientação sobre o seu uso. Um dos programas que visa sanar essa lacuna, o Aplique Bem, está completando dez anos. Com o apoio da americana Arysta LifeScience, e desenvolvido pelo Instituto Agronômico de Campinas (IAC), o programa já treinou 55 mil produtores. Sua missão? Fazer com que a tecnologia de aplicação seja bem sucedida, levando segurança ao trabalhador e produtividade à lavoura. O coordenador e pesquisador Hamilton Humberto Ramos, do centro de engenharia e automação do IAC, concedeu a seguinte entrevista:

 

É possível melhorar a reputação do Brasil, como maior consumidor de agroquímicos do mundo?
Sim, com investimento em treinamento. Porque a origem da maioria dos problemas está no desconhecimento de tecnologias e dos equipamentos de campo.

Mesmo assim o País continua como maior usuário de produtos que podem ser nocivos à saúde?

Há um lado que é verdade nessa informação, mas também tem o outro lado da questão. Quando a conta do uso de agroquímos é de toneladas por hectare de lavoura o Brasil não é o maior usuário. Nesse ranking, o País está em sétimo lugar. O maior usuário de agroquímico por hectare é o Japão. Até os Estados Unidos, onde o inverno rigoroso mata as pragas das lavouras, utiliza mais agroquímos por hectare.

Mas 5,2 quilos de agroquímico por habitante-ano, que é uma conta difundida no mercado, mesm assim não é demais?
Essa conta é simplesmente o volume de agroquímicos dividido pelo número de habitantes. Mas, até 80% deles são usados em culturas de exportacão, como soja, milho e algodão. Juntando citrus, café e cana-de-açúcar são 95%. A maior parte dos grandes produtores possui certificados internacionais de qualidade. Não há erros nessas lavouras. Agora, há 5% de uso que, quando estratificado, aparecem as distorções.

Por que?
Segundo os dados do IBGE, áreas com mais de mil hectares representam menos de 1% do número de propriedades no Brasil, só que elas são 50% da área plantada. Então, há um baixo número de pessoas envolvidas na aplicação, mas como elas trabalham o dia inteiro só nisso acabam tratando uma área muito grande. Isso é economicamente importante. No outro extremo, propriedades com menos de 10 hectares, representam menos de 3% da área plantada no País, só que elas são 50% das propriedades. Daí o impacto social.

Como estão as pesquisas sobre segurança de aplicação no Brasil, em relação a outros países, ?
De modo geral, o Brasil melhorou muito a qualidade das vestimentas para os aplicadores de agroquímicos. O IAC é referência em pesquisa. Além disso, desde 2012 o projeto se internacionalizou, indo para a Colômbia e o México, nas Américas, e Burkina Faso, Costa do Marfim, Gana e Mali, na África. Neste ano, o programa Aplique Bem vai para a Ásia, para orientar produtores do Vietnã. Também estamos ajudando países da Europa, como a França e a Espanha.

Qual a principal dificuldade na formação de um profissional para trabalhar no campo?
A baixa educação formal. No Estado de São Paulo, cerca de 70% dos trabalhadores em atividades ligadas à aplicação têm até quatro anos de escolaridade. Por conta desse perfil, não adianta publicar cartilhas, por exemplo, porque não há o hábito de ler. A parte teórica precisa ser baseada em fotos e a prática é fundamental. No Aplique Bem atendemos quase sete mil pessoas por ano, em 350 atividades limitadas a 20 vagas por vez.

Qual é o nível de conhecimento sobre as técnicas de aplicação das pessoas que procuram o projeto?
Muito baixo. A maioria dos produtores rurais está mais preocupada com o produto do que com o método de aplicação. Existe um número muito grande de pulverizadores que são reprovados nos testes aplicados por nós. Se o agricultor joga um quilo de produto por hectare, ele precisa de um sistema que garanta uniformidade de aplicação e que seja seguro.


A origem da maioria dos problemas está no desconhecimento!

Como a falta de educação formal prejudica o trabalho no campo?
Hoje, na maior parte das vezes a linguagem que está no rótulo do agrotóxico é inacessível para o agricultor que vai manipular um produto. O equipamento de segurança está sinalizado todo em pictogramas, mas ninguém explicou para esse profissional como entender aquelas imagens. Em algumas delas, os erros de interpretação superam 80%.

Como é possível melhorar a formação do profissional desse setor?
Acredito que aplicador de agrotóxico deva se tornar uma profissão. Para isso, precisamos de uma parceria público-privada. Por ela, um órgão governamental decidiria quais as formações necessárias. No caso da aplicação motorizada, como seria a habilitação para o transporte e quais as especificidades da carga transportada. O treinamento seria com a iniciativa privada, no caso as auto-escolas.

Além da formação dos aplicadores, há outras ações sendo desenvolvidas pelo programa?
Uma dos nossos objetivos hoje é criar métodos para melhorar os adjuvantes. Isso vai contribuir para muito com os processos de aplicação. Os adjuvantes são produtos colocados na água, junto com os agrotóxicos, para melhorar alguma das características da aplicação. Pode servir, por exemplo, para espalhar melhor o produto na folha de uma planta.

 

Veja também um Datashow desenvolvido pelo site NRFACIL sobre agrotóxicos:

 

Fonte: dinheiro rural

Lido 158 vezes Última modificação em Quarta, 16 Agosto 2017 22:39

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Revista NRFACIL

O FIM DA IDEOLOGIA NO COMBATE AO TRABALHO ESCRAVO
TRABALHO ESCRAVO: O QUE É PRECISO SABER PARA CORRIGIR AS BOBAGENS QUE SEU AMIGO DIZ NO BOTECO
(NR-12) ALERTAS PARA MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS
MULHERES MORREM ESMAGADAS POR PRENSA
PRÊMIO PROTEÇÃO BRASIL 2017 DIVULGA SEUS GANHADORES
FOI MESMO UM ACIDENTE?
PGT: TERCEIRIZAÇÃO PODE AUMENTAR ACIDENTES DE TRABALHO
CONTROLADOR DE VELOCIDADE VIA GPS PODE REDUZIR ACIDENTES NAS ESTRADAS
PLATAFORMA AÉREA INADEQUADA PODE CAUSAR ACIDENTES
FALTA BOM SENSO E COERÊNCIA (POR VICTOR COSTA)
FISCAIS IDENTIFICAM TRABALHO IRREGULAR NA VILA OLÍMPICA
ROBÔS JÁ SÃO REALIDADE EM AMBIENTES DE TRABALHO NO SUDESTE ASIÁTICO, APONTA OIT
SERÁ QUE A CULPA É NOSSA?
REFERÊNCIA EM SST, OBRA DE RAMAZZINI ESTÁ DISPONÍVEL PARA DOWNLOAD
PROIBIÇÃO DO USO DE CELULAR NOS CANTEIROS REFORÇA A SST
FUNCIONÁRIO DE USINA MORRE ELETROCUTADO EM TRATOR
DICAS PARA ENTREVISTA DE ESTÁGIO OU PRIMEIRO EMPREGO DO TST
OBRAS NA VILA OLÍMPICA SÃO EMBARGADAS E INTERDITADAS POR FALTA DE SEGURANÇA
COMO A CRISE PREJUDICA O PROFISSIONAL DE SST
OBRAS DA RIO-2016 JÁ MATARAM MAIS TRABALHADORES DO QUE EM TODAS AS OBRAS DA COPA DE 2014
APÓS 45 ANOS, ACIDENTE DE TRABALHO QUE MATOU 69 CONTINUA A FAZER VÍTIMAS
SERÁ QUE ACIDENTE DE TRABALHO É ALGO IMPREVISÍVEL?
FUNCIONÁRIO DA PETROBRÁS MORRE AO CAIR EM TANQUE INTERDITADO, DIZ SINDICATO
ROBÔS QUE TRABALHAM LADO A LADO COM OEPÁRIOS CHEGAM A INDÚSTRIA DO PAÍS
AS ESTATÍSTICAS DE ACIDENTES DO TRABALHO NO BRASIL
SOLICITAÇÃO E ENTREGA DE EPIs
PRECONCEITO CONTRA OS TERCEIRIZADOS PODE CAUSAR ACIDENTES DE TRABALHO
ALERTA DE SEGURANÇA DO MÊS DE ABRIL PARA PRÁTICAS DE TRABALHO SEGURO
O QUE FAZER CASO O DONO DA EMPRESA NÃO USE EPI NA ÁREA DE PRODUÇÃO?
COLABORADOR EM GOZO DE FÉRIAS, NO PERÍODO DE INSCRIÇÃO PARA ELEIÇÃO DA CIPA, PODE SE INSCREVER PARA SER MEMBRO?
NO ESPAÇO CONFINADO ALÉM DA NR 33, TEMOS QUE SEGUIR A NR 35 ONDE HÁ O RISCO DE QUEDA A MAIS DE 2M DE ALTURA?
ACIDENTE DE TRAJETO CRESCE, PREJUDICANDO EMPREGADO E PREVIDÊNCIA
AS 10 PROFISSÕES MAIS MORTAIS DOS ESTADOS UNIDOS
ACIDENTE EM ELETRICIDADE
PREJUIZOS E RISCOS EM ARMAZENAGEM FORA DE PADRÕES
AUMENTAM OS ACIDENTES E DIMINUEM OS AUDITORES FISCAIS
PERICULOSIDADE:­ INTERMITENCIA
PROTEÇÃO NO TRABALHO INFORMAL
REVISTA NRFACIL EDIÇÃO ESPECIAL: CONGRESSO MUNDIAL EM SST NA ALEMANHA
O BOM TRABALHO
ENTREVISTA: LAUDOS E PERÍCIAS EM SST
UM NOVO DESAFIO PARA O SESMT: A INTERAÇÃO HOMEM X ROBÔS
UMA ABORDAGEM SOBRE PERÍCIA TRABALHISTA!
EXISTIRIA UMA PROPENSÃO PARA ACIDENTES?
RELATÓRIO DE ATIVIDADES
DURABILIDADE DE EPIS
POLÍCIA E ACIDENTES DE TRABALHO
AVALIAÇÃO DE CABOS DE AÇO
CIPA X DESIGNADOS
STF JULGA FUTURO DO AMIANTO, QUE ESTÁ NA MAIORIA NOS TELHADOS DO PAÍS
A LINGUAGEM QUE ESTÁ NO RÓTULO DO AGROTÓXICO É INACESSÍVEL PARA O AGRICULTOR
'ATENÇÃO, CONTÉM AMIANTO': STF JULGA FUTURO DA POLEMICA FIBRA, COMUM EM TELHADOS NO BRASIL
DESENVOLVER DOENÇA OCUPACIONAL GERA INDENIZAÇÃO, MESMO SE HOUVER CURA
CÂMARA DE SP APROVA BANIMENTO DE 14 AGROTÓXICOS
JULGAMENTO NO STF SOBRE USO DO AMIANTO AMEAÇA TRABALHADOR
ESTRESSE É UM DOS FATORES QUE MAIS CAUSA AFASTAMENTO E FALTA
TRABALHADORES DA CONSTRUÇÃO CIVIL CONTAM COM GRUPO DE APOIO DO SECONCI-SP PARA DEPENDENTES QUÍMICOS EM SÃO PAULO
REPRESENTANTES DO ESTADO BRASILEIRO ALERTAM PARA TENTATIVAS DE ESVAZIAMENTO DO CONCEITO DE TRABALHO ESCRAVO
PARÁ LIDERA O RANKING REGIONAL DE TRABALHO INFANTIL
PESQUISA MOSTRA COMO A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO DOS JORNALISTAS CAUSA SOFRIMENTO E PRAZER
MPT RECOMENDA QUE VEREADORES NÃO APROVEM USO DO AMIANTO
CUIDADOS ESSENCIAIS PARA QUEM FICA MUITO TEMPO SENTADO
MINISTÉRIO DO TRABALHO RECEBE PROPOSTAS SOBRE EXAME TOXICOLÓGICO EM MOTORISTAS PROFISSIONAIS
COMISSÃO DEBATERÁ PROJETO QUE REGULAMENTA NORMAS SOBRE MEIO AMBIENTE DO TRABALHO
MOTORISTA DE AMBULÂNCIA DEVERÁ RECEBER INSALUBRIDADE
LEI PROÍBE TRABALHO DE GESTANTES EM ATIVIDADES PERIGOSAS
TRANSTORNOS MENTAIS ATINGIRAM MAIS DE 200 MIL PESSOAS NO BRASIL
MTE REGULAMENTA EXPOSIÇÃO AO FUMO
TST: ADICIONAIS DE INSALUBRIDADE E PERICULOSIDADE SE ACUMULAM
PORTARIA DIVULGA LISTA DE SUBSTÂNCIAS CANCERÍGENAS PARA HUMANOS
SUSTENTABILIDADE EM SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO
DISTÚRBIOS MENTAIS EM TRABALHADORES DE TURNOS ALTERNANTES
ENTENDENDO AS NECESSIDADES DA PRÓXIMA GERAÇÃO DE TRABALHADORES
DOENÇAS NO TRABALHO
PERÍCIA MÉDICA
DISPENSA E REINTEGRAÇÃO
ATESTADOS MÉDICOS
CONFLITO INSS X ASO
ESQUIZOFRENIA É DOENÇA OCUPACIONAL?
RISCOS "VERDES"?
CONFEDERAÇÃO DA INDÚSTRIA DEFENDE PORTARIA SOBRE TRABALHO ESCRAVO
PORTARIA SOBRE TRABALHO ESCRAVO PODE SOFRER ALTERAÇÕES, DIZ TEMER
SENADORA KÁTIA ABREU DETONA A NR-31
MPT E MPF PEDEM REVOGAÇÃO DE PORTARIA
QUEREM SUSTAR A NR-12: VOCÊ VAI DEIXAR?
SUPREMO DECIDIRÁ EFEITOS DA NOVA LEI DE TERCEIRIZAÇÃO EM SÚMILA DO TST
AS PERÍCIAS E OS PERITOS NA ATUALIDADE
GOVERNO DEFENDE SEPARAÇÃO ENTRE PREVIDÊNCIA E SEGURANÇA DO TRABALHO
CONSULTA PÚBLICA: NR REFERENTE ÀS ATIVIDADES DE LIMPEZA URBANA
EMPRESAS PAGARÃO R$1 MI POR FALTA DE SEGURANÇA DO TRABALHO
SENADO FEDERAL REALIZA CONSULTA SOBRE APLICAÇÃO DA NR-12
REFORMA TRABALHISTA PREVÊ NEGOCIAÇÃO DE FÉRIAS E 13º SALÁRIO
MTE DISPONIBILIZA REGISTRO DO SESMT PELA INTERNET
PRORROGADA CONSULTA PÚBLICA PARA NORMA DE PERICULOSIDADE EM ATIVIDADES DE MOTOCICLETA
MTPS DISPONIBILIZA DADOS SOBRE ACIDENTES DO TRABALHO POR CNPJ
RESOLUÇÃO DO CONTRAN PROÍBE USO DE CORDAS PARA AMARRAR CARGAS
REGISTRO DO TÉCNICO DE SEGURANÇA SERÁ FEITO EM CARTÃO
REVOGAÇÃO DA NR-12 PEDE URGÊNCIA E TERÁ DEBATE
CÁLCULO DO FAP SERÁ POR ESTABELECIMENTO
AÉREAS TEMEM ALTA DE CUSTO TRABALHISTA
COMO TRATAR A GARANTIA DE EMPREGO ADQUIRIDA PELOS CIPEIROS?
NR 12 - O ATENDIMENTO À NOVA REDAÇÃO DA NR
ENTENDENDO A NR 20
O EMBARGO E INTERDIÇÃO COMO ATRIBUIÇÃO ESPECÍFICA DO AUDITOR FISCAL DO TRABALHO
NR 16: ANEXO 5 (MOTOCICLETA) APROVADO PELO MTE (13/10/2014)
ELETRICIDADE NA NOVA NR-12
A NOVA NR 34 E A GESTÃO DE RISCOS
(NR-15) RUÍDO E APOSENTADORIA ESPECIAL
SECRETÁRIA QUE CRITICOU PORTARIA DO TRABALHO ESCRAVO É EXONERADA
REDUÇÃO DE ACIDENTES É PRIORIDADE DO MTB
MPT E OIT LANÇAM OBSERVATÓRIO DIGITAL DE SST
INCENTIVO DE NOVAS TECNOLOGIAS PARA SEGURANÇA DO TRABALHADOR DA CONSTRUÇÃO CIVIL
MODERNIZAÇÃO DOS PORTOS IMPACTA NAS CONDIÇÕES DE TRABALHO
AUDITORES-FISCAIS LANÇAM REVISTA CIENTÍFICA SOBRE INSPEÇÃO DO TRABALHO
CONGRESSO ANAMT: MÉDICO DO TRABALHO NAS ORGANIZAÇÕES
MTE ALTERA A AVALIAÇÃO DAS LUVAS CONTRA AGENTES QUÍMICOS
FENATEST QUER A SUSPENSÃO DOS CURSOS TÉCNICOS EM SEGURANÇA DO TRABALHO
TEMER PRETENDE SEPARAR MINISTÉRIO DO TRABALHO E PREVIDÊNCIA SOCIAL EM EVENTUAL GOVERNO
E-SOCIAL: O RAIO-X DA EMPRESA
MINISTÉRIO DO TRABALHO ENCONTRA IRREGULARIDADES NA SAMARCO
DEBATE SOBRE SEGURANÇA NO TRABALHO NAS OLIMPÍADAS
ACUSADO PELA CHACINA, EX-PREFEITO DE UNAÍ VAI A JURI EM BH
PROJETO OBRIGA EMPRESAS A CONTRATAR TSTs
OIT: BRASIL TEM APENAS 1/3 DE AUDITORES DO TRABALHO
XX CONGRESSO MUNDIAL DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO