CÓDIGO DE ÉTICA DOS TÉCNICOS DE SEGURANÇA DO TRABALHO


CÓDIGO DE ÉTICA PROFISSIONAL DO TÉCNICO DE SEGURANÇA DO TRABALHO

CAPITULO I
DA ATIVIDADE PROFISSIONAL

Art.04 -As funções, quando no exercício profissional do Técnico de Segurança do Trabalho, são definidas pela Portaria 3.275 de 21 de setembro de 1989, não sendo permitido o desvio desta;

CAPITULO I I
DO PROFISSIONAL

Art.05 – Exercer o trabalho profissional com competência, zelo, lealdade, dedicação e honestidade, observando as prescrições legais e regulamentares da profissão e resguardando os interesses dos trabalhadores conforme Portaria 3214 e suas NRs.

Art.06 – Acompanhar a legislação que rege o exercício profissional da Segurança do Trabalho, visando a cumpri-la corretamente e colaborar para sua atualização e aperfeiçoamento.

Art.07 – O Técnico de Segurança do Trabalho poderá delegar parcialmente a execução dos serviços a seu cargo a um colega de menor experiência, mantendo-os sempre sob sua responsabilidade técnica.

Art. 08 – Considerar a profissão como alto título de honra e não praticar nem permitir a prática de atos que comprometam a sua dignidade;

Art.09 – Cooperar para o progresso da profissão, mediante o intercâmbio de informações sobre os seus conhecimentos e contribuição de trabalho às associações de classe e a colegas de profissão;

Art.10 – Colaborar com os órgãos incumbidos da aplicação da Lei de regulamentação do exercício profissional e promover, pelo seu voto nas entidades de classe, a melhor composição daqueles órgãos.

Art.11 – O espírito de solidariedade, mesmo na condição de empregado, não induz nem justifica a participação ou conivência com o erro ou com os atos infringentes de normas técnicas que regem o exercício da profissão.

CAPITULO III
DOS DEVERES

Art. 12- Guardar sigilo sobre o que souber em razão do exercício profissional lícito, inclusive no âmbito do serviço público, ressalvados os casos previstos em lei ou quando solicitado por autoridades competentes, entre estas o Conselho Regional do Técnico de Segurança do Trabalho.

Art.13 – Se substituído em suas funções, informar ao substituto todos os fatos que devam chegar ao conhecimento desse, a fim de habilitá-lo para o bom desempenho das funções a serem exercidas.

Art.14 – Abster-se de interpretações tendenciosas sobre a matéria que constitui objeto de perícia, mantendo absoluta independência moral e técnica na elaboração de Programas prevencionistas de Segurança e Saúde no Trabalho.

Art.15- Considerar e zelar com imparcialidade o pensamento exposto em tarefas e trabalhos submetidos a sua apreciação.

Art. 16- Abster-se de dar parecer ou emitir opinião sem estar suficientemente informado e munido de documentos.

Art.17- Atender à Fiscalização do Conselho Regional de Segurança do Trabalho no sentido de colocar à disposição deste, sempre que solicitados, papéis de trabalho, relatórios e outros documentos que deram origem e orientaram a execução do seu trabalho.

Art. 18 – Os deveres do Técnico de Segurança do Trabalho compreendem, além da defesa do interesse que lhe é confiado, o zelo do prestígio de sua classe e o aperfeiçoamento da técnica de trabalho.

Art. 19 – Manter-se regularizado com suas obrigações financeiras com o Conselho Regional dos Técnicos de Segurança do Trabalho do Estado de São Paulo.

Art.20 – Comunicar ao Conselho Regional dos Técnicos de Segurança do Trabalho fatos que envolvam recusa ou demissão de cargo, função ou emprego, motivados pela necessidade do profissional em preservar os Postulados, Éticos e legais da profissão.

CAPITULO IV
DA CONDUTA

Art. 21- Zelar pela própria reputação, mesmo fora do exercício profissional;

Art. 22 – Não contribuir para que sejam nomeadas pessoas que não tenham a necessária habilitação profissional para cargos rigorosamente técnicos.

Art.23 – Na qualidade de consultor ou árbitro independente, agir com absoluta imparcialidade e não levar em conta nenhuma consideração de ordem pessoal.

Art. 24 – Considerar como confidencial toda informação técnica, financeira ou de outra natureza, que obtenha sobre os interesses dos empregados ou empregador.

Art. 25 – Assegurar ao Trabalhador e ao Empregador um trabalho técnico livre de danos decorrentes de imperícia, negligência ou imprudência.

CAPITULO V
DOS COLEGAS

Art.26 – A conduta do Técnico com os demais profissionais em exercício na área de segurança e saúde no trabalho devem basear-se no respeito mútuo, na liberdade e independência profissional de cada um, buscando sempre o interesse comum e o bem estar da categoria.

Art.27 – Deve ter, para com os colegas apreço, respeito, consideração e solidariedade, sem todavia, eximir-se de denunciar atos que contrariem os postulados éticos à Comissão de Ética da instituição em que exerce seu trabalho profissional e, se necessário, ao Conselho Regional dos Técnicos de Segurança do Trabalho.

Art.28 – Abster-se da aceitação de encargo profissional em substituição a colega que dele tenha desistido para preservar a dignidade ou os interesses da profissão ou da classe, desde que permaneça as mesmas condições que ditaram o referido procedimento.

Art.29 – Não tomar como seus ou desqualificar os trabalhos, iniciativas ou soluções encontradas por colegas, sem a necessária citação ou autorização expressa.

Art. 30 – Não prejudicar legítimos interesses ou praticar de maneiras falsas ou maliciosas, direta ou indiretamente, a reputação, a situação ou a atividade de um colega.

CAPITULO VI
DAS PROIBICOES

Art.31- É vedado ao Técnico de Segurança do Trabalho: anunciar, em qualquer modalidade ou veículo de comunicação, conteúdo que resulte na diminuição do colega, da Organização ou da classe.

Art.32 – Assumir, direta ou indiretamente, serviços de qualquer natureza, com prejuízo moral ou desprestígio para classe.

Art.33 – Auferir qualquer provento em função do exercício profissional que não decorra exclusivamente de sua prática lícita ou serviços não prestados.

Art. 34 – Assinar documentos ou peças elaborados por outrem, alheios à sua orientação, supervisão e fiscalização.

Art. 35 – Exercer a profissão, quando impedido, ou facilitar, por qualquer meio, o seu exercício aos não habilitados ou impedidos.

Art.36 – Aconselhar o trabalhador ou o empregador contra disposições expressas em lei ou contra os Princípios Fundamentais e as Normas Brasileiras de Segurança e saúde no Trabalho.

Art.37 – Revelar assuntos confidenciais por empregados ou empregador para acordo ou transação que, comprovadamente, tenha tido conhecimento.

Art.38 – Iludir ou tentar a boa fé do empregado, empregador ou terceiros, alterando ou deturpando o exato teor de documentos, bem como fornecendo falsas informações ou elaborando peças inidôneas.

Art.39 – Elaborar demonstrações na profissão sem observância dos Princípios Fundamentais e das Normas editadas pelo Conselho Estadual do Técnico de Segurança no Trabalho.

Art.40 – Deixar de atender às notificações para esclarecimento à fiscalização ou intimações para instrução de processos.

Art.41 – Praticar qualquer ato ou concorrência desleal que, direta ou indiretamente, possa prejudicar legítimos interesses de outros profissionais.

Art.42 – Se expressar publicamente sobre assuntos técnicos sem estar devidamente capacitado para tal e, quando solicitado a emitir sua opinião, somente fazê-lo com conhecimento da finalidade da solicitação e se em benefício da coletividade.

Art. 43 – Determinar a execução de atos contrários ao Código de Ética dos profissionais que regulamenta o exercício da profissão.

Art.44 – Usar de qualquer mecanismo de pressão ou suborno com pessoas físicas e jurídicas para conseguir qualquer tipo de vantagem.

Art.45 – Utilizar forma abusiva o poder que lhe confere a posição ou cargo para impor ordens, opiniões, inferiorizar as pessoas e/ou dificultar o Exercício Profissional.

CAPITULO VII
DA CLASSE

Art. 46 – Acatar as resoluções votadas pela classe, inclusive quanto a honorários profissionais.

Art.47 – Prestigiar as entidades de classe contribuindo, sempre que solicitado, para o sucesso de suas iniciativas em proveito da profissão, dos profissionais e da coletividade.

CAPITULO VIII
DOS DIREITOS
Art.48 – Representar perante os órgãos competentes as irregularidades comprovadamente ocorridas na administração de entidade da classe.

Art.49 – Recorrer ao Conselho Regional dos Técnicos de Segurança do Trabalho do Estado de São Paulo quando impedido de cumprir o presente Código e as Leis do Exercício Profissional.

Art.50 – Renunciar às funções que exerce logo que se positive falta de confiança por parte do empregador, a quem deverá notificar com trinta dias de antecedência, zelando, contudo, para que os interesses dos mesmos não sejam prejudicados, evitando declarações públicas sobre os motivos da renúncia.

Art. 51 – O Técnico de Segurança do Trabalho poderá publicar relatório, parecer ou trabalho técnico – profissional, assinado sob sua responsabilidade.

Art. 52 – O Técnico de Segurança do Trabalho, quando assistente técnico, auditor ou árbitro, poderá recusar sua indicação quando reconheça não se achar capacitado em face da especialização requerida.

Art.53 – Recusar-se a executar atividades que não sejam de sua competência legal.

Art. 54 – Considerar-se impedido para emitir parecer ou elaborar tarefas em não conformidade com as Normas de Segurança e saúde no Trabalho e orientações editadas pelo Conselho Estadual dos Técnicos de Segurança do Trabalho.

Art. 55 – O Técnico de Segurança do Trabalho poderá requerer desagravo público ao Conselho Regional de Segurança e Saúde no Trabalho quando atingido, pública e injustamente, no exercício de sua profissão.

CAPITULO IX
DAS PENALIDADES

Art. 56 – A transgressão de preceito deste Código constitui infração ética, sancionada, segundo a gravidade, com a aplicação de uma das seguintes penalidades:

- Advertência Reservada;
- Censura Reservada;
- Censura Pública.
- Na aplicação das sanções éticas são consideradas como atenuantes:
- Falta cometida em defesa de prerrogativa profissional.
- Ausência de punição ética anterior;
- Prestação de relevantes serviços à classe.

Art.57 – O julgamento das questões relacionadas à transgressão de preceitos do Código de Ética incumbe, originariamente, aos Conselhos Regionais dos Técnicos de Segurança do Trabalho, que funcionarão como Câmaras Regionais de Ética, facultado recurso dotado de efeito suspensivo, interposto no prazo de trinta dias para o Conselho Federal dos Técnicos de Segurança do Trabalho em sua condição de Câmara Superior de Ética.

Art.58 – Não cumprir, no prazo estabelecido, determinação dos Conselhos Regionais dos Técnicos de Segurança do Trabalho, depois de regularmente notificado.

Art.59 – O recurso voluntário somente será encaminhado a Câmara de Ética se a Câmara Superior de Ética respectiva mantiver ou reformar parcialmente a decisão.

Art.60 – Quando se tratar de denúncia, o Conselho Regional dos Técnicos de Segurança do Trabalho, comunicará ao denunciante a instauração do processo até trinta dias depois de esgotado o prazo de defesa.

Art. 61 – Compete ao CORETEST-SP, em cuja jurisdição se encontrar inscrito o Técnico de Segurança do Trabalho, a apuração das faltas que cometer contra este Código e a aplicação das penalidades previstas na legislação em vigor.

Art.62 – Ter sempre presente que as infrações deste Código de Ética serão julgadas pelas Câmaras Especializadas instituídas pelo Conselho Regional – CORETEST-SP, conforme dispõe a legislação vigente.

Art. 63 – A cassação consiste na perda do direito ao Exercício do Técnico de Segurança do Trabalho e será divulgada nas publicações oficiais dos Conselhos Federal e Regional de Técnicos de Segurança e em jornais de grande circulação.

Art.64 – Considera-se infração Ética a ação, omissão ou convivência que implique em desobediência e/ ou inobservância às disposições do Código de Ética dos Profissionais dos Técnicos de Segurança do Trabalho do Estado de São Paulo.

Art. 65 – Atentar para as resoluções, especificas, sobre as graduações das penalidades.

Participe! Seus comentários poderão ser importantes para outros participantes interessados no mesmo tema. Todos os comentários serão bem-vindos, mas reservamo-nos o direito de excluir eventuais mensagens com linguagem inadequada ou ofensiva, bem como conteúdo meramente comercial. 55 comentários

55 comentários

  1. Edgilson Paixao out 28th 2010

    Ola senhores, boa tarde parabenizo voces pelo site, temos aqui muitas informações…
    Queria saber dos senhores , porque que o Codigo de Etica dos Tecnicos de Segurança do Trabalho começam do art. 4 em diante…
    Tenho duvidas se começa realmente ai…
    Obrigado…

  2. Ricardo Gomes da Silva jul 19th 2011

    Ola senhores, boa tarde parabenizo voces pelo site, temos aqui muitas informações…
    Queria saber dos senhores , porque que o Codigo de Etica dos Tecnicos de Segurança do Trabalho começam do art. 4 em diante…
    Tenho duvidas se começa realmente ai…
    Obrigado…

  3. muito bom o blog parabens

  4. Elias Barboza set 20th 2011

    Gostaria de saber quem elaborou o código de ética dos tecnicos de segurança e saude no trabalho

  5. Adão dos Santos nov 15th 2011

    gostei muito, pois estava precisando das informações aqui contidas

    parabéns.

  6. rosicleia nov 17th 2011

    parabens pelo blog, gostaria de saber como faço para elaborar laudos ergonomicos

  7. rosicleia nov 17th 2011

    parabens pelo blog, gostei muito da materia

  8. Saudações! Muito bom este artigo, toda informação é magnífica.

  9. Daniele fev 23rd 2012

    parabens,pelo site é informativo…me ajuda mto…

  10. José Ferreira mar 2nd 2012

    Ola senhores, boa tarde parabenizo voces pelo site, encontramos aqui muitas informações importantes relacionado a segurança do trabalho.
    Queria saber dos senhores, em qual item da nr 18 cita laudo relativo ao balancim,em ser assinado pelo engº mecânico…
    Obrigado…

  11. Valdério Gonçalves mar 4th 2012

    Engrosso a fileira que está composta pelos colegas: Edgilson Paixão e Ricardo Gomes da Silva. O porquê que o Código de Ética nosso começa mesmo do artigo 04 em diante. Os três primeiros se relacionam a o quê? Agradeço antecipadamente pelo esclarecimento.

  12. giovani mar 5th 2012

    Gostei do código de ética, mas tb nao entendi pq inicia do artigo 4?

  13. dayane mar 30th 2012

    adorei este blog, facilita muiito o profissional desta area.

  14. Como faço para postar seu blog no meu, não tenho muito experiencia em blog.

  15. Henrique fire mai 11th 2012

    Gostaria de fazer a assinatura da revista nr fácil , e q eu estou concluindo o curso de técnico em seguranca do trabalho , para ficar informado dos acontecimentos.

  16. Olá Henrique,
    enviaremos um e-mail a você lhe explicando como deve proceder.
    Um abraço,
    Ana Gabriela Fernandes

  17. marli oliveira jun 30th 2012

    sou estudante de tecnico de segurança do trabalho, estou no ultimo ano e gostaria de receber materiais que falam de eletricide

  18. Fabio Martins jul 31st 2012

    O Administrador foi bem rápido em responder sobre os procedimentos para assinatura mas sobre a razão de o Código iniciar pelo artigo 4º….
    Será que ninguem sabe? Será que está certa esta publicação?

  19. ELIZIANE MARTINS ago 6th 2012

    Gostaria de uma explicação mais clara sobre o Art.12 , CAPITULO III
    DOS DEVERES. Obrigada.

  20. netto ago 6th 2012

    comecei meu curso hoje pelo senac gostaria de saber se tem uma escola mas bem preparada que o senac qual?

  21. jaqueline ago 17th 2012

    Gostaria de uma explicação mais clara sobre o artigo 11 capítulo 2 do profissional! Obg

  22. Olá Boa Tarde Blogger!

    Eu me chamo Ji e sou responsável pela empresa Biosom.

    Estou entrando em contato para poder fazer uma apresentação de um produto inovador. Gostaria de apresentar o software Hearing Guardian, um software que proporciona assim melhoras na saude auditiva.

    Se tiver interessado eu poderia te mandar algumas informações sobre o nosso software até mesmo o produto. Se quiser também posso também os artigos que foram publicados na folha e na revista saúde.

    Creio que sua divulgação será muito eficaz para passar adiante sua preocupação com a saude dos trabalhadores. E assim levar adiante conhecimentos que podem ajudar no dia- a- dia dos trabalhadores, sendo desta forma um importante meio de comunicação.

    Daqui a algumas semanas será o lançamento dos produtos nas lojas e eu gostaria de te convidar para te mostrar.

    Aguardo a sua resposta então.

    Abs,

  23. Boa tarde senhores!
    Também gostaria de saber por que o código de ética começa a partir do Artigo 4º.

  24. Olá .
    Encontrado na Internet neste site – ( http://goodzonehotel.com.ua/ )
    Quero me a pedir o mesmo site. Eu realmente gostei do design. Excelente estrutura .
    Se existe um fórum para webmasters , por favor, envie-me um PM.

  25. joao batista guedes ago 28th 2012

    muito bom gostaria de condinuar estudando maisemais

  26. Sérgio Santos fev 11th 2013

    Senhores bom dia, sou técnico de Segurança recém formado aqui no estado do Maranhão e gostaria da ajuda de vcs, estou precisando de uma apostila de NR10 para ministrar um treinamento e gostaria de saber se algum de vcs tem esta apostila, de preferência uma bem ilustrativa, para me enviar em anexo ou onde consigo obter as mesmas, caso queiram cobrar eu pago.

    Atc, Sérgio dos Santos Sousa.

  27. Weslen Dias de Oliveira fev 13th 2013

    Queria que me enviassem todos os conteúdos sobre segurança do trabalho, pois estou inicializando o curso em técnico em segurança do trabalho e quero está por dentro de todos os assuntos.

  28. clemilda fev 13th 2013

    a) Do Objetivo:
    I- O presente código de ética profissional tem por objetivo, fixar a forma pela qual se deve conduzir os
    Técnicos de Segurança do Trabalho, quando no exercício profissional;
    b) Dos Deveres e Proibições:
    I- São deveres do Técnico de Segurança do Trabalho:
    1. Considerar a profissão com alto título de honra, não praticar e nem permitir a prática de atos que
    comprometam a sua dignidade;
    2. Exercer a profissão com zelo, diligência e honestidade, evitar cometer injustiça com quer que
    seja;
    3. Inspecionar e analisar cuidadosamente, antes de emitir opinião sobre qualquer caso;

  29. Thauan mar 5th 2013

    Os três primeiros artigos estão na portaria mencionada no art 04

  30. jeferson abr 6th 2013

    aonde trabalho o tecnico nao comuncica os devios que um funcionario comete , apenas gera relatorio e ao final do dia o funcionario fica sabendo do desvio qeu cometeu
    por exemplo usar o protetor de ouvidos de forma incorreta
    ou usar a propulsora sem isolar a area , o tecnico so olha e no final do dia , vai chegar o relatorio , e sem provas nao tem foto do desvio , ela apenas fala que viu e o funcionario deve ser punido isso e etico ?????
    como denunciar um tecnico desse ?

  31. david silvino abr 16th 2013

    muito bom esse código de ética, muito bem eleborado.

  32. roberta mai 5th 2013

    Bom Dia!

    Gostaria de saber porque começa no artigo 4º ? Parabéns muito bem elaborado…..aguardo resposta.

    Obrigado!
    Roberta 05/05/2013

  33. wilson de freitas soares mai 14th 2013

    QUERO UMA COPIA DESTE DOCMENTO

  34. wilson de freitas soares mai 14th 2013

    QUERO UMA COPIAPODE MANDAR P MEU EMAIL DESTE DOCMENTO

  35. wilson de freitas soares mai 14th 2013

    MUITO BOM

  36. estou a procura de iniciar curso seguranca de trabalho.porisso vim buscar alguns conhecimentos.

  37. vim buscar conhecimentos,fiz a leitura gostei

  38. gostei muito

  39. gostei muito bom.

  40. francisca soares jun 6th 2013

    muito bom!

  41. Lucas Prado jun 17th 2013

    Aqui os artigo 1, 2 e 3.

    Art.01 – fica aprovado o anexo Código de Ética Profissional do Técnico de Segurança do Trabalho no Estadode São Paulo.
    Art. 02– a presente Resolução entra em vigor na data de sua aprovação.
    Art.03 – revogam-se as disposições em contrário

    Acredito que esse artigos forem retirados por serem a parte introdutória do código, aqui o site onde encontrei o código completo:

    http://pt.scribd.com/doc/51792208/Codigo-de-etica-da-Profissao-Tecnico-em-Seguranca-no-trabalho

  42. Lucas Prado jun 17th 2013

    Galera o gerei o link em PDF desse texto http://migre.me/f3XUG

  43. EDER RIBEIRO jul 31st 2013

    Amigos,

    Eu acabei de criar minha própria petição e espero que possam assiná-la. Ela se chama: Estabiidade ao Profissional Técnico Segurança Trabalho (Sub-fical MTE em ação).

    Eu realmente me preocupo sobre este assunto e juntos nós podemos fazer algo a respeito disso! Cada pessoa que assina nos ajuda a chegarmos mais próximo do nosso objetivo de 100 assinaturas — será que você pode nos ajudar assinando a petição?

    Clique aqui para ler mais a respeito e assine:

    http://www.avaaz.org/po/petition/Estabiidade_ao_Profissional_Tecnico_Seguranca_Trabalho_Subfical_MTE_em_acao/?launch

    Campanhas como esta sempre começam pequenas, mas elas crescem quando pessoas como nós se envolvem — por favor reserve um segundo agora mesmo para nos ajudar assinando e passando esta petição adiante.

    Muito obrigado,
    eder ribeiro

    @edersociologia

  44. WILSON DE FREITAS SOARES ago 11th 2013

    OLHA ADOREI ESSE DOCUMENTO EM RELAÇAO NOSSO CODICO DE ETICA!!

  45. Excelente material, muito proveitoso para os profissionais da área de segurança.

  46. Fabio José set 28th 2013

    Me chamo Fábio,sou estudante desta Área acredito que, com a ajuda deste código,não teremos dúvidas de nossas atitudes no campo profissional,grato desde já, o conhecimento nos leva a perfeição,sendo assim façamos bom proveito das normas legislativas.

  47. muito bom
    bem informativo

  48. gostaria de mais explicaçoes sobre o código 18 e 21

  49. lui cardoso out 26th 2013

    Gostaria de saber o que pode ser feito quando um técnico de segurança, coloca a vida de um civil em risco, tentando-o agredir e matar, quais medidas cabíveis dentro da lei, posso denunciá-lo no MPT, como procede?

  50. Viviane jan 3rd 2014

    Bom dia!
    Muito bom esse codigo de etica do Técnico de segurança, os demais estados deveriam conhecer esse codigo e aplicar.

  51. Késia jan 22nd 2014

    Gostaria de saber se o tst tem direito de receber os 30% de periculosidade?

  52. tarciana pereira de lima fev 16th 2014

    pode me dar um exemplo na pratica sobre o art.14

  53. OIIIIIIIIIIIIIIIIIIII td bem com vcs????????????????? s2s2s2s2s2

  54. Estou passando um problema muito grave, em relação CÓDIGO DE ÉTICA PROFISSIONAL DO TÉCNICO DE SEGURANÇA DO TRABALHO, se é que esse código existe mesmo, a vizinha da minha fabrica, recém formada, aproveitou-se do título que lhe foi conferido como TÉCNICO DE SEGURANÇA DO TRABALHO, e resolveu expor minha empresa que está no mercado a 17 anos, sem nunca sequer ter acesso a fabrica, nem ter acesso a qualquer documentação, fez exposição na parede da sua casa, que fica ao lado da entrada da minha fábrica, dados da empresa e todas as falhas técnicas, vista de fora, já que nunca passou do portão de entrada, finalizou dizendo (NÃO SE ACANHE PODE ME PROCURAR, ESTAREI DISPOSTA A AJUDAR, POIS ESSE É O MEU TRABALHO), e assinando de próprio punho, e colocou o carimbo com seu nome e número e o cargo que lhe deu todo esse poder, para mostrar toda autoridade, que tem com esse cargo, ficando de forma extremamente vísivel na rua pois foi impresso em 8 folhas de sulfite, tanto para funcionários clientes, quanto vizinhos e transeuntes, para que todos tivessem acesso a tudo que deveria ser interno, além de abordar os meus funcionários dizendo que agora ela tem autoridade que lhe foi dado pelo Ministério do Trabalho.
    Estou extremamente insatisfeita, com esse código, tem que se fazer valer, em nenhuma outra profissão, vi autoridade para tamanha, exposição alheia, nem guando um traficante é preso, seu possíveis erros são tão absurdamente exposto em público.
    Não espero uma resposta, porque nem sei o que pensar sobre essa classe, e esse código, mas é muito frustrante como pessoa, ver como com determinados cargos, um profissional pode destruir a reputação de uma empresa, e não ser penalizado por isso.
    Tenho toda documentação, para comprovação mas nem sei a quem recorrer, tamanho o absurdo.
    Foi só um desabafo, porque sei que ninguém vai fazer nada a respeito mesmo, mas saliento tire esse código daqui, chega a ser vergonhoso, saber que existe, mas não ter utilidade nenhuma.

    Lia Rodrigues litex@litex.com.br

  55. antonio de sousa soares jun 23rd 2014

    ok! Meus amigos, eu me formei agora, mas já tenho outras experiências na vida mas te digo! Que uma profissão de nível federal, e tem resolução na constituição ; precisar de assessoria, brigadas, , cursos de nr tal, etc!!! Para arranjar emprego? viu tudo isso no curso! E agora me exigem ! Que combinação com as empresas e essa gente! Tenho rg no MT! E o que precisa! oque e isso mesmo?


Deixe uma resposta


um × 5 =