Postagem Anterior:   Próxima Postagem:

NR-15 – GASES E VAPORES NOS AMBIENTES DE TRABALHO

 NOTA DO BLOG: A maioria dos agentes de riscos descritos no artigo abaixo fazem parte da NR-15 Atividades e Operações Insalubres. Assim, dependendo do tempo de exposição e observados os limites de tolerância, pode-se ter uma idéia precisa de sua avaliação e critérios para a operação com esses agentes.

NR-15
TITULO ATIVIDADES E OPERAÇÕES INSALUBRES(115.000-6)
RESUMO Classificação pericial das atividades cujo tempo de exposição elimite de tolerância ao risco caracterizam situações suscetíveis dedesenvolver doença ocupacional
IMPOSIÇÕES Obrigatoriedade de levantar os riscos nos ambientes de trabalho,qualitativa ou quantitativamente, utilizando instrumental técnico específicoe de pagamento de adicional de insalubridade aos trabalhadoresde forma temporária ou contínua,de acordo com o resultado da Perícia
INFRAÇÕES até 6.000 UFIR(calculadas para empresas de médio porte – 50/100 trabalhadores)

Acesse o site www.nrfacil.com.br e veja o texto completo da NR 15. Conheça o Remissivo, com textos complementares relacionados a esta NR.  

GASES E VAPORES NOS     

AMBIENTES DE TRABALHO

Dr. Daphnis Ferreira Souto, Med Trab  

  

São numerosos os gases e vapores que podem estar presentes na atmosfera dos ambientes de trabalho e quando inalados, desenvolvem efeitos irritantes, principalmente  nas vias respiratórias. Eles também podem agir, quando no estado líquido, sobre a pele determinando queimaduras ou inflamação.

O controle dos riscos causados por estas substâncias se faz através da detecção de sua presença no ambiente de trabalho e das observações clínicas de seus sintomas em trabalhadores expostos.

Os gases e vapores irritantes produzem uma inflamação nos tecidos das vias respiratórias que pode levar ao edema pulmonar, derrame pleural e outras reações.,

Eles também podem causar manifestações como rinite, faringite e laringite, tosse e dor no peito que deve ser encarada como um sinal de agravamento e de alarme para prevenir exposições excessivas que podem afetar gravemente o aparelho respiratório.

Outros irritantes agem sobre os brônquios originando bronquites ou broncopneumonia.

O edema pulmonar que em geral é uma manifestação grave pode acontecer de 4 a 24 horas após a exposição.

O local de ação é em geral determinado pela sua solubilidade. Aqueles que são muito solúveis na água serão rapidamente absorvidos pelas vias aéreas superiores onde agem como irritantes. Os de baixa solubilidade na água agirão mais adeante, no pulmão. Vem a seguir os de solubilidade intermediária cuja ação se faz no correr de  todo o aparelho respiratório.

Ainda há que se levar em consideração  a concentração e as propriedades químicas destas substâncias.

Os gases e vapores quando não controlados nos ambientes de trabalho, podem, portanto, provocar uma alteração crônica das vias respiratórias decorrente de uma exposição aguda ou crônica do trabalhador com estas substâncias se não houver algum sistema de proteção coletiva ou individual que evite o contato desses irritantes com o seu organismo.

Os gases irritantes são divididos em duas categorias:

1 – os irritantes primários  que atuam no local de contato com o organismo.

Não exercem ação tóxica sistêmica, isto é, não atingem o organismo como um todo.

1.  2 -  os irritantes secundários que atuam no local do contato com o organismo, especialmente as membranas mucosas. Há um efeito geral no organismo                decorrente do fato de serem absorvidos.

           Vejamos alguns exemplos de irritantes primários:

a) Amônia – é um gás incolor. A grande solubilidade da amônia faz com que ela seja retida nas porções iniciais do trato respiratório onde atua. Os pulmões raramente são afetados. A irritação das vias aéreas superiores e a dos olhos,   provocadas pela amônia  é de tal ordem que faz com que as pessoas se afastem do  local imediatamente evitando exposição mais demorada.

b)Ácido Sulfúrico – Forma névoas irritantes.  Irrita as vias respiratórias                        superiores, a pele, e os olhos provoca erosão dentária. Ele é mais irritante quando   aumenta a umidade.

c)Ácido fluorídrico – Seus vapores irritam as vias aéreas superiores e a mucosa ocular. Provoca queimaduras na pele e forma ulceras muito dolorosas e de difícil tratamento.

d) Formol – É um poderoso irritante da pele, das mucosas e das vias  respiratórias. Atua como alergisante e provoca eczemas.

e) Anidrido sulfuroso – É causador de doença asmática e aumenta a   prevalência de doenças crônicas pulmonares.

f) Cloro – provoca sensação de sufocamento, dor no peito, tosse, cianose, escarro sanguinolento, dor de estômago, náuseas e vômitos e edema pulmonar.

g) Ozônio – é um severo irritante das mucosas. É um gás incolor, muito reativo com cheiro característico que aparece por exemplo na solda. Diminui a  acuidade visual, dá falta de ar, tosse, constrição torácica, perturbação da coordenação e dependendo da concentração, morte.

Como irritantes secundários temos os seguintes exemplos:

a)Hidrogênio sulfurado; Gás sulfídrico; Sulfeto de hidrogênio.

O gás sulfidrico além da sua ação irritativa local, exerce uma ação sistêmica que se caracteriza por uma excitação seguida de depressão do sistema nervoso,   particularmente do centro respiratório que pode levar rapidamente à morte.

Esses exemplos foram dados somente com a finalidade de mostrar que com gases e vapores não se brinca. São traiçoeiros e não costumam mandar recado.

Portanto se você tiver que trabalhar em qualquer atividade que possa dar origem a    algum gás precavenha-se. Proteja-se seguindo as regras de segurança  estabelecidas  para esse tipo de trabalho.

 

 

 

 

 

 

Participe!
Seus comentários poderão ser importantes para outros participantes interessados no mesmo tema. Todos os comentários serão bem-vindos, mas reservamo-nos o direito de excluir eventuais mensagens com linguagem inadequada ou ofensiva, bem como conteúdo meramente comercial. 10 comentários

10 comentários

  1. O texto citado acima é muito bem explicado e isso nos ajuda a estudar e saber que podemos contar com ajuda de colegas de trabalho. Mas entretanto ele apenas apontou os riscos de contaminaçao e nao falou sobre como acabar com esses problemas, qual o tipo de EPI que se deve usar em casos como estes de estar trabalhando com esses tipos de gases , e fazer com que a populaçao da cidade se ouver cidade proxima a fabrica nao seja contaminada com isso. Nao adianta de nada eu estar gerando 10.000 empregos e contaminando 30.000 pessoas

  2. Obrigado por enriquecer a internet com conteúdo de qualidade.

    É de gente como você que a internet precisa.

    Belo Blog, parabéns!!!!!

  3. Obs.:

    Tá “favoritado”

    rsrsrs. t+

  4. muito obrigado pelo bom blog vç é merecedor de atenção esta realizando um belo trabalho na net.

  5. Johann Maler mar 1st 2011

    Mas qual é a diferença entre vapores e gases??
    É isso que eu estou pesquisando.
    Mas muito obrigado do mesmo jeito, gostei muito da sua explicação sobre esse assunto.

  6. jurandir nov 13th 2011

    estou montando um trabalho somente sobre vapor (todo tipo, quais os produtos que geram vapor e as doenças que provoca?), ppreciso complementar meu trabalho pois acho que esta bom mais pode ficar melhor com a ajuda da nrfacil

  7. bruno mar 7th 2012

    valeu se poder ajudar mais um pouco
    preciso saber como evitar
    com oque eu posso combate
    e preocausao do que acontece com pessoas
    obrigado
    muito bom esse material

  8. Prezado Bruno,
    pode esclarecer melhor a sua pergunta?
    No aguardo,
    Ana Gabriela Fernandes
    (Coordenação Técnica – NRFACIL)

  9. minerva mai 3rd 2012

    obviamente para minimizar os riscos dos gases e vapores no ambiente de trabalho é necessário que seja utlizados os equipamentos de segurança adequadamente e monitoramento constante com os trabalhadores.

  10. marcelia ago 26th 2013

    Muito esclarecedor! Obrigada por me ajudar.


Deixe uma resposta


+ 1 = quatro